11:44 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4210
    Nos siga no

    O presidente do Irã, Hassan Rouhani, declarou que as potências mundiais aceitaram a suspensão das sanções contra a nação persa, ocasionando uma queda no preço do petróleo bruto.

    Conforme declarou o presidente iraniano nesta quinta-feira (20) à televisão estatal, as negociações em Viena – nas quais a República Islâmica e EUA discutiram o acordo nuclear de 2015 – deram um "grande passo", e "o acordo principal foi concretizado", citado pela agência Bloomberg.

    Porém, o presidente do Irã informou que os diplomatas ainda se encontram discutindo alguns detalhes antes do acordo final. Trata-se da suspensão das sanções que afetam setores petrolífero, bancário e de embarcações.

    Como resultado, em Londres, o preço do petróleo bruto despencou 1,8%, sendo avaliado a US$ 65,47 (cerca de R$ 346,1) por barril. Agora, o Irã está preparando seus campos petrolíferos para exportação assim que as sanções forem suspensas.

    Segundo analistas do Citigroup, o mais provável de acontecer é Washington deixar Teerã aumentar sua exportação de petróleo em 500 mil barris entre setembro e dezembro deste ano. Contudo, os EUA deverão querer provas de que o Irã segue cumprindo as regras antes do início das exportações de petróleo em causa, informa mídia.

    Dentro das previsões mais otimistas, a República Islâmica poderia aumentar a sua produção diária de petróleo de 2,4 milhões de barris para quatro milhões em algumas semanas.

    Em 18 de junho, ocorrerão eleições presidenciais no Irã. Antes de deixar o cargo, depois de dois mandatos, o governo de Rouhani poderá sair vitorioso com a finalização do acordo nuclear antes das votações começarem.

    Mais:

    Chanceler do Irã ironiza: de quem é a costa que navios dos EUA 'protegem' no estreito de Ormuz?
    Deputado alemão ante sanções a Nord Stream 2: Europa e EUA dependem de parceria econômica com Rússia
    'Teerã apoia luta dos palestinos contra regime sionista', diz chefe da Guarda Revolucionária do Irã
    Tags:
    sanções, acordo nuclear, JCPOA, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar