08:50 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    242047
    Nos siga no

    O Exército israelense já atacou centenas de alvos do Hamas, e em breve a quantidade de alvos atacados corresponderá a mais de mil, declarou o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

    Nesta quinta-feira (13), o premiê israelense visitou uma bateria do sistema antiaéreo Cúpula de Ferro.

    "A utilização de baterias da Cúpula de Ferro nos permite atacar, e as Forças de Defesa de Israel já atacaram centenas de alvos que em breve serão mais de mil. E nós continuamos atacando o Hamas, e defendendo nossos cidadãos", segundo Netanyahu, citado pelo seu gabinete.

    A situação na fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza palestina agravou-se na noite de segunda-feira (10). O lançamento de foguetes contra zonas urbanas ocorre quase sem parar, já tendo matado, segundo dados recentes, seis civis e um militar israelense.

    Fumaça é vista saindo de um prédio destruído após ter sido bombardeado por Israel na cidade de Gaza, 12 de maio de 2021
    © AP Photo / Khalil Hamra
    Fumaça é vista saindo de um prédio destruído após ter sido bombardeado por Israel na cidade de Gaza, 12 de maio de 2021

    De acordo com o Exército de Israel, do início da escalada de violência até a manhã de quarta-feira (12), da Faixa de Gaza foram disparados mais de 1.600 foguetes.

    Israel atacou a Faixa de Gaza, atingindo alvos de movimentos palestinos Hamas e Jihad Islâmico e tendo exterminado alguns militantes, incluindo altos chefes militares. De acordo com dados oficiais da Palestina, em resultado dos ataques de Israel, na Faixa de Gaza morreram 67 pessoas.

    Mais:

    Israel anuncia eliminação de figuras-chave da inteligência do Hamas
    Israel não vai cessar fogo antes que 'Hamas pague o preço por seus ataques', diz oficial israelense
    Forças de Israel destroem gerador de energia próximo de casa do líder do Hamas
    Tags:
    lançamento de foguetes, ataques aéreos, Hamas, Israel, Benjamin Netanyahu
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar