22:38 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5345
    Nos siga no

    O vice-chanceler russo Sergei Vershinin disse em entrevista à Sputnik que Moscou condena duramente os episódios de violência que tomaram conta da Palestina e de Israel. Segundo ele, ações desse tipo atrapalham a retomada das conversas de paz na região.

    "Condenamos veementemente todas as manifestações de violência contra civis em Israel e na Palestina, bem como quaisquer ações que dificultem a possibilidade de reiniciar o processo de negociação em uma base jurídica internacional geralmente reconhecida", disse o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia

    ​Segundo Vershinin, Moscou está em contato com todas as partes interessadas para diminuir a escalada dos conflitos na região e está preparando uma declaração conjunta com seus parceiros do Conselho de Segurança das Nações Unidas. 

    "Em coordenação com os parceiros chineses que presidem o Conselho de Segurança da ONU, bem como delegações de outros Estados-membros, continuamos trabalhando na reaproximação de posições em relação à situação atual. Em termos concretos, estamos participando de um acordo sobre uma declaração de consenso para a mídia."

    Ainda de acordo com o vice-ministro, a Rússia também está mantendo contatos bilaterais com outros interessados no assunto, como, por exemplo, o governo da Turquia.

    "Também aparece na agenda de consultas com o secretário-geral da ONU, [António] Guterres, que chegou a Moscou. Também estamos determinados a continuar os esforços enérgicos no âmbito do Quarteto do Oriente Médio, que é o único mecanismo internacionalmente reconhecido para apoiar o processo de assentamento palestino-israelense", acrescentou Vershinin.

    Mais:

    Palestinos devem adotar 'coalescência' em meio a conflitos com Israel, diz líder supremo do Irã
    Mais projéteis são disparados contra Israel a partir da Faixa de Gaza
    Israel anuncia eliminação de figuras-chave da inteligência do Hamas
    Tags:
    ONU, confrontos, violência, Moscou, Turquia, Rússia, Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar