10:15 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7615
    Nos siga no

    O presidente de Israel denunciou nesta quarta-feira (12) o que ele descreveu como um "pogrom" realizado por "uma turba árabe sanguinária", na cidade mista árabe-israelense de Lod, onde o estado de emergência foi declarado.

    "A visão do pogrom em Lod e os distúrbios em todo o país por uma multidão árabe incitada e sanguinária, ferindo pessoas, destruindo propriedades e, até mesmo, atacando espaços sagrados judaicos é imperdoável", disse o presidente israelense Reuven Rivlin em comunicado.

    [Participei de] um telefonema urgente hoje [terça-feira, 11] com Mudar Yunes, presidente do Fórum de Chefes de Conselhos Locais Árabes, [a quem enviei] uma forte mensagem sobre a violência árabe nas ruas de algumas das cidades mistas de Israel, incluindo Lod, Ramla e outras.

    Durante os distúrbios em Lod, situada ao sul de Tel Aviv, casas e empresas de cidadãos judeus foram vandalizadas, enquanto os residentes judeus também atiraram pedras contra a população árabe.

    "A derrubada da bandeira israelense pelos desordeiros árabes e sua substituição pela bandeira palestina é um ataque brutal à existência compartilhada no Estado de Israel", acrescentou Rivlin, cujo papel é amplamente cerimonial.

    Depois de pedir aos líderes árabes-israelenses que se manifestassem contra a violência, ele disse: "O silêncio da liderança árabe sobre esses distúrbios é vergonhoso".

    Além disso, o presidente afirmou que os israelenses precisam "estar prontos e armados, fortes e determinados, preparados para defender a nossa casa".

    Mais:

    Seis civis ficam feridos em ataque com foguete no sul de Israel
    Palestinos devem adotar 'coalescência' em meio a conflitos com Israel, diz líder supremo do Irã
    Mais projéteis são disparados contra Israel a partir da Faixa de Gaza
    Tags:
    distúrbios, violência, Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar