23:48 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2110
    Nos siga no

    Em um movimento liderado pela França e apoiado pela Alemanha dentro do bloco, a União Europeia (UE) começa a elaborar sanções contra Beirute pela crise socioeconômica gerada pelo atual governo.

    A UE está em processo para emitir sanções contra políticos no Líbano, e se prepara para as primeiras penalidades do bloco contra seu aliado no Oriente Médio. O motivo seria uma frustração crescente com a má gestão da elite governante libanesa, segundo a Reuters.

    O bloco está tentando aumentar a pressão sobre Beirute após dez meses de crise, que deixaram o Líbano enfrentando um colapso financeiro, hiperinflação, apagões de eletricidade e escassez de combustível e alimentos.

    "O nível de impaciência com a classe dominante está crescendo. Eles não parecem ter o interesse de seu povo no coração. Esperamos ver uma decisão nas próximas três a quatro semanas", disse um diplomata sênior da UE, citado pela mídia.

    Nenhum nome foi mencionado, mas seis diplomatas e outros funcionários disseram à mídia que as sanções começaram a ser trabalhadas após ministros das Relações Exteriores da UE concordarem em agir na segunda-feira (10).

    "As pessoas estão sofrendo, mas os líderes políticos não estão assumindo a responsabilidade enquanto o país está literalmente desmoronando", disse o chefe de política externa da UE, Josep Borrell, citado pela Reuters.

    Há divisões entre os 27 Estados da UE sobre a sensatez das sanções, mas as duas principais potências do bloco, França e Alemanha, são a favor, o que provavelmente será crucial. A Hungria, até agora, foi o único país mais enfático contra as sanções, denunciando publicamente os movimentos do bloco em torno de sua elaboração.

    © REUTERS / DALATI NOHRA
    O presidente libanês, Michel Aoun (à esquerda), encontra-se com o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, no palácio presidencial em Baabda, Líbano, 6 de maio de 2021. Apesar do encontro amigável, a França é um dos principais países a defender sanções contra Beirute

    Diplomatas também ponderam como ou se a UE vai mirar no braço político do Hezbollah, grupo que exerce enorme poder no Líbano e também é responsável por parte do status quo político do país.

    Na terça-feira (11), em um possível sinal para o bloco europeu, os Estados Unidos, pela primeira vez sob o governo de Joe Biden, sancionaram sete cidadãos libaneses que disseram estar ligados a uma empresa financeira do Hezbollah, e apelaram a outros governos que efetuassem medidas similares, segundo a mídia.

    Mais:

    Líbano: Hariri pretende pedir ajuda econômica durante visita à Rússia
    Líbano condena invasão do seu espaço aéreo por Israel para ataques contra capital síria
    À beira de colapso? Hezbollah estaria se preparando para 'dia do Juízo Final' no Líbano
    Tags:
    Alemanha, França, sanções, Uniao Europeia, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar