11:54 01 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4317
    Nos siga no

    Antony Blinken afirmou que, mesmo após a retirada de tropas norte-americanas, os EUA continuarão presentes no Afeganistão.

    Segundo o secretário de Estado dos EUA Antony Blinken, a Embaixada dos EUA em Cabul seguirá aberta. Além do mais, Washington continuará fornecendo ajuda econômica, humanitária e de desenvolvimento para o Afeganistão.

    "Estamos engajados no Afeganistão há 20 anos, e, às vezes, nos esquecemos por que fomos para lá em primeiro lugar: para lidar com quem nos atacou em 11 de setembro [de 2001]. E assim o fizemos. Só porque nossas tropas estão regressando para casa, não quer dizer que deixaremos [o Afeganistão]. Não vamos", indicou Blinken no domingo (2) ao CBS News.

    Quando questionado se o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países) poderia passar a controlar o Afeganistão, o secretário de Estado afirmou que "devemos estar preparados para qualquer cenário, e há um leque" de cenários.

    Na semana passada, Karine Jean-Pierre, porta-voz da Casa Branca, declarou o início de retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão, enfatizando que a saída deve ser finalizada antes de 11 de setembro de 2021.

    A saída dos EUA de território afegão, bastante devastado pela guerra, foi incluída no acordo de paz entre Washington e Talibã em Doha, Qatar, no ano passado. Porém, desde a assinatura do acordo, o Talibã acusou repetidamente Washington de violar as normas do tratado.

    Mais:

    Explosão atinge instalação petroquímica e deixa ao menos 6 feridos no Irã (VÍDEO, FOTOS)
    Explosão no leste do Afeganistão deixa pelo menos 30 mortos e 60 feridos
    Al-Qaeda promete 'guerra em todas as frentes' contra EUA mesmo com retirada de tropas do Afeganistão
    Tags:
    acordo de paz, retirada, Doha, Talibã, Afeganistão, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar