20:16 01 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    16568
    Nos siga no

    Teerã e Tel Aviv continuam a trocar farpas, com o Irã se recusando a reconhecer o Estado israelense e Israel prometendo fazer o possível para impedir que a República Islâmica obtenha uma arma nuclear.

    Na segunda-feira (26), o comandante-chefe do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês), Hossein Salami, advertiu que Teerã responderá na mesma moeda a "qualquer ato maligno" de Jerusalém.

    "As más ações cometidas pelos sionistas na região se voltarão contra eles e vão expor Israel a perigos reais no futuro. Se eles continuarem cometendo-as, eles se aproximarão cada vez mais do colapso. Todas as condições para o colapso do Estado israelense estão prontas" disse o comandante-chefe citado pelo Tehran Times.

    Os comentários de Salami acontecem depois que Mohammad Baqeri, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Iranianas, disse no domingo (25) que Israel estaria enganado ao pensar que pode atacar continuamente a Síria ou realizar ações maliciosas sem receber uma reposta, comunicando que a "frente de resistência dará uma resposta fundamental aos sionistas".

    Um oficial iraniano do IRGC com a bandeira de Israel desenhada nas botas, é visto durante a cerimônia de formatura, realizada em Teerã, Irã (foto de arquivo)
    © CC BY-SA 4.0 / Tasnim News Agency
    Um oficial iraniano do IRGC com a bandeira de Israel desenhada nas botas, é visto durante a cerimônia de formatura, realizada em Teerã, Irã (foto de arquivo)

    As declarações de Baqeri são uma réplica ao anúncio feito pelas Forças de Defesa de Israel (FDI) na semana passada dizendo que as FDI atacaram, baterias de mísseis na Síria, em retaliação ao lançamento de um míssil que caiu perto do Centro de Pesquisa Nuclear Shimon Peres Negev, no sudeste da cidade israelense de Dimona.

    Nesta terça-feira (27), Gilad Erdan, embaixador de Israel na Organização das Nações Unidas, relatou ao Conselho de Segurança da ONU sobre o desenvolvimento de míssil balístico na República Islâmica, e que tal desenvolvimento poderia ter "estreita ligação entre os programas espacial e militar do Irã, que trabalham em conjunto para melhorar sua capacidade de desenvolver ogivas nucleares".

    A inimizade entre Irã e Israel é histórica, mas o clima se tornou ainda mais tenso entre as duas nações após o ataque supostamente realizado por Israel à usina nuclear iraniana em Natanz, no dia 11 de abril. Tel Aviv tem medo que o país persa desenvolva armas nucleares e já declarou diversas vezes que vai fazer de tudo para impedir o progresso da questão.

    Mais:

    Embaixador israelense na ONU avisa sobre perigos de míssil balístico 'em desenvolvimento' do Irã
    Irã reconhece autenticidade de áudio vazado com declarações polêmicas do ministro Zarif
    John Kerry é acusado de ter compartilhado 'inteligência militar secreta' com Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar