00:38 27 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4271
    Nos siga no

    Em 2015, a instalação esteve rodeada de suspeita de ser usada para pesquisa e desenvolvimento de armas nucleares, mas a missão da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) não encontrou nenhuma prova.

    A empresa de inteligência The Intel Lab, se apoiando em imagens de satélite, sugeriu que o Irã construiu mais quatro edifícios no complexo militar de Parchin, perto de Teerã, nos últimos meses.

    Segundo a empresa, um alicerce de concreto, uma escavadeira e duas estruturas de concreto de 12 metros quadrados surgiram perto da plataforma de lançamento de mísseis do complexo. As duas estruturas de concreto no meio são separadas do resto por quatro acostamentos de terra alta, que são normalmente utilizados para desviar ondas provenientes de explosões.

    Nova atividade de construção no complexo militar de Parchin, no Irã.

    As imagens foram capturadas em 4 de março, tendo as últimas adições ao complexo sido feitas em novembro de 2020.

    A Intel Lab alegou que a atividade de construção no complexo militar de Parchin, já visível em 2018, estaria, "provavelmente", relacionada ao programa iraniano de mísseis balísticos. Ao mesmo tempo, a companhia de inteligência sugeriu que a instalação poderia estar envolvida em atividades nucleares.

    No entanto, a República Islâmica tem sempre negado tais suposições e acusações, garantindo que a natureza do seu programa nuclear é estritamente civil e, ao mesmo tempo, o desenvolvimento e a utilização de armas nucleares seriam contra sua religião oficial, o islã.

    Mais:

    MRE russo: iniciativa da China para Oriente Médio está em linha com abordagem de Moscou
    Irã revela novos 'sistemas de defesa avançados' no Dia do Exército Nacional (FOTOS)
    AIEA confirma que Irã começou a enriquecer urânio a 60% de pureza
    Tags:
    armas nucleares, instalações nucleares, complexo de mísseis, Teerã, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar