20:51 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2190
    Nos siga no

    O Talibã afirma que o adiamento da retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão permite que sejam tomadas todas as contramedidas necessárias, responsabilizando os EUA pelas futuras consequências.

    "Esta decisão é uma clara violação do Acordo de Doha e o não cumprimento de suas responsabilidades [...] Agora, como o acordo está sendo rompido pela América, isso em princípio abre caminho para [o Afeganistão] tomar todas as contramedidas necessárias, consequentemente, o lado americano vai ser o responsável por todas as consequências futuras, e não o Emirado Islâmico", comunicou o Talibã.

    O Talibã também instou as Nações Unidas e outras organizações e países que testemunharam a assinatura do acordo de paz com os EUA a pressionarem Washington a retirar suas forças até o dia 1º de maio.

    "Como a retirada das tropas será adiada por vários meses, sendo concluída apenas em setembro, gostaríamos de declarar o seguinte: esta decisão viola claramente o acordo de Doha e descumpre as obrigações firmadas [...] O Talibã aconselha com insistência a América e todos os países ocupantes a pararem de justificar a continuação da guerra e retirarem imediatamente todas suas forças do Afeganistão", comunica o movimento.

    A declaração ocorre no momento em que o secretário de Estado norte-americano, Anthony Blinken, acaba de se encontrar com o presidente afegão Ashraf Ghani em Cabul.

    Durante o encontro, Blinken afirmou que a retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão não resultaria no enfraquecimento das relações estratégicas entre os países.

    De acordo com o secretário dos EUA, o país está empenhado em cumprir com os compromissos firmados com o governo afegão.

    Por sua vez, o presidente afegão, Ashraf Ghani, afirmou durante o encontro com o secretário norte-americano que suas forças são capazes de defender o país sem ajuda externa e são apoiadas pela população.

    Na última quarta-feira (14), a Casa Branca anunciou que os EUA completariam a retirada das tropas do Afeganistão até 11 de setembro, 20º aniversário dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. Biden também afirmou que os EUA não deixarão o país às pressas, mas sim em coordenação com seus aliados.

    Mais:

    Ante dúvidas sobre retirada de tropas, secretário de Defesa dos EUA visita Afeganistão de surpresa
    Biden pondera que forças dos EUA permaneçam no Afeganistão 6 meses mais do que acordado, diz mídia
    Talibã alerta para consequências se EUA não retirarem tropas do Afeganistão até 1º de maio
    Tags:
    militares, tropas, grupos terroristas, terroristas, EUA, Talibã, Afeganistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar