16:37 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7181
    Nos siga no

    Mohammad Javad Zarif, ministro das Relações Exteriores do Irã explicou "alguns pontos" do histórico acordo de cooperação que foi recentemente assinado entre Pequim e Teerã.

    Em uma mensagem divulgada nesta quinta-feira (1º) em sua conta no Instagram, o chefe da diplomacia iraniana ressaltou que a Parceria Estratégica Global sino-iraniana se concentra em uma "promoção prática" de laços bilaterais e fornece "um roteiro e um horizonte duradouro" para desenvolvimento de tais relações.

    Segundo Zarif, o acordo abre caminho para uma colaboração plena sino-iraniana nas esferas política, econômica, comercial, cultural, de defesa e de segurança.

    O chanceler iraniano acrescentou que o acordo prevê os princípios do "respeito mútuo e da prossecução de interesses comuns de uma forma vantajosa para todos no que diz respeito a relações bilaterais, regionais e internacionais".

    "O documento não é um contrato nem uma convenção. Não cria nenhuma obrigação para nenhuma das partes, mas, sim, traça uma perspectiva das relações" sino-iranianas, observou Zarif.

    O chanceler iraniano afirmou ainda que o acordo "não cede direitos a nenhuma região ou a um local e não cria quaisquer direitos exclusivos em qualquer domínio", observando que "este documento não prevê implantação de forças militares e não há possibilidade de assumir uma base [militar]".

    Presidente iraniano, Hassan Rouhani, reúne-se com o ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, em Teerã, Irã, em 27 de março de 2021
    © REUTERS / Handout
    Presidente iraniano, Hassan Rouhani, reúne-se com o ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, em Teerã, Irã, em 27 de março de 2021

    Javad Zarif ressaltou que, em termos de relações econômicas bilaterais, o acordo estipula a cooperação de ambos os países nos setores petrolífero, mineiro e energético, bem como a contribuição do Irã para a iniciativa chinesa Um Cinturão, Uma Rota.

    Pequim assinou neste sábado (27) um acordo de 25 anos com Teerã para aumentar a cooperação abrangente.

    Do lado chinês, haveria expansão da presença chinesa em bancos, telecomunicações, portos, ferrovias e outros setores. Em troca, a China receberia um suprimento regular e com grandes descontos de petróleo iraniano.

    Embora o acordo tenha sido anunciado como valendo US$ 400 bilhões (cerca de R$ 2 trilhões), os ministérios das Relações Exteriores dos dois países não confirmaram o valor negociado.

    Mais:

    Relatório: grupo de hackers com supostos laços com Irã teria atacado 25 cientistas nos EUA e Israel
    Obsessão de Netanyahu com Irã: medo real ou ferramenta política?
    EUA tentam reviver conversações com Irã através de aliados, aponta mídia norte-americana
    Tags:
    Oriente Médio, acordo comercial, China, Irã, cooperação econômica, cooperação bilateral
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar