20:40 04 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 22
    Nos siga no

    Homenagem ao falecido presidente da Tanzânia, John Magufuli, termina com pelo menos 45 mortos e 37 feridos. Há suspeitas de que Magufuli tenha falecido por complicações da COVID-19. Magufuli tinha posicionamento negacionista.

    Pelo menos 45 pessoas morreram pisoteadas em uma debandada durante o funeral em homenagem ao presidente da Tanzânia, John Magufuli. Outras 37 pessoas teriam ficado feridas, de acordo informações do Alarabiya News e do The Observer.

    ​Polícia tanzaniana confirma que 45 pessoas morreram em uma debandada durante o segundo dia de exibição pública do corpo do ex-presidente John Pombe Magufuli em Dar es Salaam em 21 de março. Outras 37 outros pessoas em luto também ficaram feridas.

    O líder tanzaniano morreu em 17 de março, aos 61 anos, em um hospital na cidade de Dar es Salam, na Tanzânia. Enquanto o governo mantém posicionamento de que o presidente morreu de insuficiência cardíaca após lutar contra a doença por uma década, as forças da oposição afirmam que Magufuli teve sintomas graves do coronavírus.

    ​Presidente Tanzaniano John Magufuli está morto: vice-presidente (em 17 de março de 2021)

    Anteriormente, Magufuli declarou não haver pandemia na Tanzânia. Ele também incentivou os residentes a orar por três dias para combater doenças respiratórias e enfatizou que não iria impor nenhum tipo de bloqueio ou fechamento para conter os contágios.

    O Ministério da Saúde tanzaniano informou recentemente não ter planos de comprar vacinas contra a COVID-19.

    Mais:

    Tendo Brasil como maior fornecedor, por que China recorre à Tanzânia para importar soja?
    Negacionismo não é inocente e ataque à ciência enfraquece democracia, avalia pesquisadora
    'Queiroga não é um negacionista', diz fundador da Anvisa à Sputnik Brasil
    Tags:
    Tanzânia, presidente, mortos, Funeral, pisoteamento
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar