22:53 11 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    253
    Nos siga no

    Presidente dos EUA estaria ponderando a possibilidade de estender a permanência de suas forças no Afeganistão até novembro de 2021, seis meses adicionais ao acordo fechado pelo seu antecessor.

    O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, desembarcou na capital do Afeganistão no domingo (21), tornando-se o primeiro membro do gabinete do presidente democrata Joe Biden a colocar os pés no país que abriga a campanha mais longa da história dos EUA.

    "É óbvio que o nível de violência continua muito alto no país […]. Gostaríamos muito de ver essa violência diminuir e acho que, se ela diminuir, pode começar a estabelecer as condições para um trabalho diplomático realmente frutífero", afirmou Austin antes de sua partida para Cabul, onde se encontrou com o presidente afegão Ashraf Ghani, informa o jornal The New York Times.

    Os EUA devem retirar as forças norte-americanas do país em 1º de maio, data fixada em um acordo assinado pelo governo do republicano Donald Trump e pelo Talibã (organização terrorista na Rússia e em outros países) há mais de um ano.

    Sou muito grato por meu tempo com o presidente Ashraf Ghani hoje [domingo (21)]. Vim ao Afeganistão para ouvir e aprender. Esta visita foi muito útil para mim e informará minha participação na revisão que estamos fazendo aqui com o presidente dos EUA

    A viagem do secretário de Defesa dos EUA a Cabul foi mantida em segredo e permaneceria confidencial até duas horas após sua partida, mas repórteres locais deram a notícia de sua visita depois que Austin se encontrou com o presidente afegão.

    "Fizemos muito para trabalhar com as forças de segurança afegãs [...]. E não quero especular sobre o que pode ou não acontecer daqui para frente [...]. O que queremos é um fim responsável para este conflito", sublinhou Austin a repórteres em Cabul.

    O presidente Joe Biden disse na quarta-feira (17) que seria "difícil" cumprir o prazo, ao enfatizar que os EUA estão fazendo consultas com seus aliados e ainda não há decisão sobre o assunto. Biden estaria ponderando a possibilidade de estender a permanência de suas forças até novembro de 2021, seis meses adicionais ao acordo fechado pelo seu antecessor.

    Enquanto isso, o Talibã se manifestou na sexta-feira (19) contra a Casa Branca manter suas tropas além da data acordada. Atualmente, cerca de 3.500 soldados norte-americanos estão posicionados no Afeganistão.

    Mais:

    EUA dizem que analisam todas as opções possíveis em relação ao Afeganistão
    Afeganistão rejeita plano dos EUA para acelerar processo de paz
    EUA têm mil soldados 'não oficiais' no Afeganistão, alguns trabalhariam para CIA, diz jornal
    Biden: todos os soldados dos EUA podem sair do Afeganistão até 1º de maio, mas será 'difícil'
    Tags:
    Talibã, Lloyd J. Austin, EUA, Guerra no Afeganistão, Afeganistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar