16:42 01 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    690
    Nos siga no

    Milhares de israelenses se manifestaram hoje (20), em frente à residência do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, em Jerusalém, pedindo o fim de sua liderança, apenas três dias antes da quarta eleição no país em dois anos.

    Os manifestantes marcharam pelas ruas, que foram fechadas ao trânsito pela polícia, agitando bandeiras, tocando tambores e buzinas, e gritando palavras de ordem contra o premiê conservador de 71 anos, informou o jornal local Haaretz.

    A multidão foi maior do que em protestos anti-Netanyahu anteriores, realizados no ano passado. Segundo a mídia israelense, cerca de 20.000 pessoas participaram das manifestações de hoje (20).

    Cerca de 20.000 pessoas em protesto anti-Netanyahu em Jerusalém.

    De acordo com as últimas pesquisas de opinião, o partido Likud, que é liderado por Netanyahu, deverá receber a maioria dos votos nas eleições de 23 de março. Contudo, os levantamentos não indicam que haverá um vencedor com clara maioria no Parlamento, capaz de formar um governo, semelhante ao que aconteceu nas três eleições anteriores.

    A pressão sobre Netanyahu vem crescendo ao longo da corrida eleitoral. O premiê está sendo julgado em um caso de corrupção e é acusado por seus críticos de gerenciar mal a pandemia do novo coronavírus.

    Dezenas de milhares de manifestantes anti-Netanyahu em protesto nesta noite de sábado (20) na praça Paris em Jerusalém.

    O premiê, no entanto, espera que o sucesso do programa de vacinação contra a COVID-19 de seu governo, que permitiu a abertura de grande parte da economia após três lockdowns, junto com uma série de acordos de normalização com países árabes, lhe garantam o impulso necessário para assegurar uma maioria no Knesset, o Parlamento do país.

    Mais:

    Israel faz doação de vacinas excedentes; Palestina, Honduras e República Tcheca recebem doses
    Netanyahu: Israel fará tudo para que Irã não tenha armas nucleares
    Além do spray nasal: visita de Ernesto Araújo a Israel revela estratégia da política brasileira
    Tags:
    COVID-19, protestos, eleições, Benjamin Netanyahu, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar