09:45 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    661
    Nos siga no

    Com um curto programa de treinamento militar, os EUA conseguiram juntar esforços para ajudar no combate à insurgência terrorista que tem devastado o norte de Moçambique.

    As Forças Especiais norte-americanas começaram nesta semana a treinar militares moçambicanos a combater uma insurgência terrorista que tem persistido na região nordeste da nação africana e que os Estados Unidos acreditam estar ligada ao Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países), escreveu o jornal The New York Times.

    A insurgência terrorista na nação africana já ocasionou pelo menos duas mil mortes e outros 670 mil refugiados, em uma zona perto de uma das maiores reservas de gás natural do mundo.

    A guerra em Moçambique é parte de uma expansão alarmante de insurgências que, alegadamente, estaria ligada ao Daesh, e que está acontecendo por várias partes da África. No ano passado, militantes se apoderaram de parte do território da província de Cabo Delgado, incluindo um porto naval no oceano Índico, e decapitaram centenas de civis, conforme reportam grupos de direitos humanos.

    Membros das Forças Especiais dos EUA realizando treinamento durante operações contra grupo Daesh no sul da Síria
    Membros das Forças Especiais dos EUA realizando treinamento durante operações contra grupo Daesh no sul da Síria

    Na semana passada, os EUA designaram, formalmente, o grupo localmente conhecido como Al-Sunna wa Jama'a como entidade terrorista global, impondo sanções ao seu líder, chamado pelos oficiais americanos de Abu Yasir Hassan. Porém, ainda é incerta a natureza das relações entre este grupo e o Daesh na Síria e no Iraque, bem como com outros grupos no continente africano.

    O programa dos EUA para combater este grupo é modesto em tamanho e extensão, sendo composto por apenas uma dúzia de boinas verdes que devem treinar os fuzileiros de Moçambique durante os próximos dois meses, de acordo com a mídia americana.

    Um oficial sênior do Departamento de Estado dos EUA teria dito, sob anonimato, que este programa de treinamento militar poderia levar a um apoio mais ambicioso por parte de Washington a Moçambique. Adicionalmente, os Estados Unidos tencionam prestar assistência na área da inteligência à nação africana.

    Iraque, militares iraquianos observam ataque aéreo da coalizão liderada pelos EUA às posições do Daesh
    © AP Photo / Rwa Faisal
    Iraque, militares iraquianos observam ataque aéreo da coalizão liderada pelos EUA às posições do Daesh em Fallujah

    No entanto, alguns especialistas regionais pensam que grupos como o Al-Sunna wa Jama'a poderiam estar apenas usando o Daesh para criar medo e atrair financiamento. Além disso, publicações do Daesh em suas plataformas não se referem a operações em Moçambique desde setembro do ano passado.

    Por outro lado, há ainda a preocupação de, ao denominarem o grupo em causa como entidade terrorista global com possíveis ligações ao Daesh, os Estados Unidos poderiam ter comprometido futuras possibilidades de negociação com o mesmo ou relacionados.

    Mais:

    Investigador chama Israel de principal suspeito do 'ataque terrorista' a navio de carga iraniano
    'Osso duro de roer': granada de RPG fica presa em blindagem de veículo em Moçambique (VÍDEO)
    Ataques aéreos de Biden na Síria são 'presente' para o Daesh, diz ex-senador dos EUA
    Tags:
    treinamento militar, Daesh, terrorismo, EUA, Moçambique
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar