21:33 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    91221
    Nos siga no

    EUA reservam o direito de agir adequadamente para defender os seus interesses à luz de recentes ataques às forças norte-americanas no Iraque, declarou Lloyd Austin, secretário de Defesa dos EUA.

    "Nós vamos atacar, se é isso que entendemos ser preciso fazer, em um momento e um lugar de nossa própria escolha. Exigimos o direito de proteger nossas tropas", declarou Austin ao canal ABC News. 

    O chefe do Pentágono acrescentou que os EUA pediram ao Iraque que levasse a cabo uma investigação relacionada ao ataque de 3 de março, que ocasionou a morte de um funcionário contratado, para determinar os autores por trás do ataque para que Washington possa dar uma resposta.

    No entanto, o secretário de Defesa aparentemente já tem na mente a quem culpar pelo recente ataque, dizendo que o Irã terá de tirar suas próprias conclusões depois de os EUA responderem.
    Imagem de satélite mostra os edifícios destruídos na Síria, perto da fronteira com o Iraque, na sequência dos ataques aéreos dos EUA realizados em 25 de fevereiro
    © REUTERS / Maxar Technologies
    Imagem de satélite mostra os edifícios destruídos na Síria, perto da fronteira com o Iraque, na sequência dos ataques aéreos dos EUA realizados em 25 de fevereiro

    Em 3 de março, a base aérea iraquiana de Ain Al-Asad, usada pelos Estados Unidos, foi avo de ataque de foguetes que matou um contratado norte-americano.

    Antes disso, na madrugada de 26 de fevereiro, Washington bombardeou uma estrutura supostamente ligada a uma milícia apoiada pelo Irã na Síria, perto da fronteira com o Iraque.

    O presidente dos EUA, Joe Biden, afirmou que o ataque aéreo foi uma "mensagem" ao Irã de que os EUA não deixarão os ataques contra suas tropas sem resposta.

    Anteriormente, Richard Black, ex-senador republicano norte-americano, afirmou que o Daesh (organização terrorista, proibida na Rússia e em vários outros países) sai fortalecido com os ataques de Washington contra milícias, que lutam contra a organização terrorista.

    Mais:

    Biden apoia proposta para restringir poderes de guerra do presidente dos EUA, diz mídia
    EUA podem implantar sistemas móveis de defesa antiaérea na Síria e Iraque para combater drones
    Ataque aéreo dos EUA na Síria deixa 'pelo menos 22 mortos'; Iraque nega envolvimento na ação
    Tags:
    Lloyd J. Austin, Pentágono, ataque aéreo, base aérea, Oriente Médio, tensão militar, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar