14:16 18 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 15
    Nos siga no

    Gangues de criminosos fortemente armadas no noroeste e no centro da Nigéria intensificaram os ataques nos últimos anos, realizando inúmeros sequestros.

    Homens armados sequestraram centenas de alunas de uma escola secundária em Jangebe, no estado de Zamfara, no noroeste da Nigéria, informaram vários meios de comunicação no país africano.

    "Mais de 300 meninas desapareceram", afirma uma professora da Escola Secundária para Meninas do Governo Jangebe, citada pela agência AFP e que pediu para permanecer anônima.

    Um funcionário da escola disse que os sequestradores chegaram ao local em carros e motocicletas por volta da uma da madrugada desta sexta-feira (26), invadiram os abrigos e levaram as alunas à força. Alguns bandidos, segundo o funcionário, usavam uniforme de agente de segurança.

    Crianças nigerianas.
    © AP Photo / Domingo Alamba
    Crianças nigerianas.
    "Estou a caminho de Jangebe. Recebi um telefonema de que a escola foi invadida por bandidos que levaram meninas. Tenho duas filhas na escola", disse à mídia Sadi Kawaye.

    O Governo e a polícia de Zamfara ainda não se pronunciaram sobre o assunto. O incidente ocorre dias depois que homens armados sequestraram 42 pessoas de uma escola em Kagara, no estado do Níger.

    Mais de 300 meninos foram sequestrados de uma escola em dezembro em Kankara, estado natal do presidente Muhammadu Buhari, Katsina, enquanto ele visitava a região. Os meninos foram posteriormente libertados após negociações com funcionários do governo, mas o incidente gerou indignação global.

    Mais:

    Níger: 70 civis são mortos em ataque jihadista perto da fronteira com o Mali
    Drone norte-americano faz pouso de emergência no Níger (FOTOS)
    Chade diz que enviará 1.200 soldados para zona de fronteira com Mali, Níger e Burkina Faso
    Avião cai na Nigéria deixando 7 mortos (VÍDEO)
    Tags:
    meninas sequestradas, sequestro, sequestro, alunos, estudante, colégio, escola, Nigéria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar