07:33 28 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7153
    Nos siga no

    Extremistas na Síria planejam encenar um ataque químico para culpar as autoridades do país, disse no sábado (20) o contra-almirante Vyacheslav Sytnik, vice-diretor do Centro Russo de Reconciliação para a Síria.

    De acordo com o oficial, os militares russos receberam informações sobre a preparação por parte do grupo Tahrir al-Sham (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países) de provocações no nordeste da zona de desescalada de Idlib com uso de substâncias tóxicas.

    "Os militantes planejam encenar um ataque químico e suas consequências na forma de vítimas mortais e feridos entre a população local, para depois acusar as forças governamentais sírias de usarem armas químicas contra civis", declarou Sytnik.

    Ele acrescentou que os terroristas transportaram contêineres com substâncias tóxicas, presumivelmente cloro, em vários caminhões, para a localidade de Tarmanin.

    Capacetes Brancos na Síria, 5 de outubro de 2016 (foto de arquivo)
    © AFP 2021 / Sameer Al-Doumy
    Capacetes Brancos na Síria, 5 de outubro de 2016 (foto de arquivo)

    A Rússia tem repetidamente apontado que a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) ignora as informações sobre provocações terroristas, acusando o órgão de preconceito em relação ao governo sírio.

    Vasily Nebenzya, o embaixador russo na ONU, disse que a OPAQ está sendo usada como ferramenta política pelos países ocidentais para pressionar Estados "indesejáveis".

    Mais:

    Rússia, Turquia e Irã emitem nota após encontro sobre Síria: integridade do país é prioridade
    Terroristas realizam 17 ataques em zona de desescalada do conflito na Síria
    Síria abrirá mais 3 postos de controle para residentes que desejam deixar Idlib
    Tags:
    grupo terrorista, Idlib, Exército da Síria, armas químicas, provocação, Rússia, Oriente Médio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar