08:01 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 470
    Nos siga no

    Representantes da Rússia, Turquia e Irã reuniram-se na cidade de Sochi, Rússia, "no formato de Astana" a fim de discutir os assuntos relacionados à Síria.

    Os países condenam a captura e transferência ilegal das rendas da venda de petróleo no nordeste da Síria, segundo o comunicado emitido no final da reunião em Sochi.

    "[Rússia, Turquia e Irã] expressaram de novo sua rejeição da captura e transferência ilegal das rendas da venda do petróleo que devem pertencer à República Árabe Síria", diz o comunicado divulgado pelo representante oficial do presidente russo, Aleksandr Lavrentiev.

    Ele notou que os países garantes concordam que atingir a segurança e estabilidade duradoura no nordeste da Síria "só será possível na base da manutenção da soberania e integridade territorial do país".

    "[Rússia, Turquia e Irã] rejeitaram todas as tentativas de criar novas realidades 'no território' [...] destinadas a destruir a unidade da Síria e que ameaçam a segurança nacional de países vizinhos. Nesse âmbito, expressaram sua preocupação quanto ao reinício das operações de militares direcionadas contra a população civil", adicionou o representante.

    Preocupação de fortalecimento de militantes em Idlib

    "[Rússia, Turquia e Irã] analisaram em detalhes a situação na zona de desescalada de Idlib e ressaltaram a necessidade de manutenção da paz 'no território' através do cumprimento total de todos os acordos existentes relacionados com Idlib", afirma o comunicado.

    O representante especial também contou que os países garantes expressaram "séria preocupação com o fortalecimento da presença e atividade terrorista do grupo Tahrir al-Sham [organização terrorista proibida na Rússia] e outras organizações terroristas afiliadas com este" e assegurou a firmeza dos países em se oporem aos planos separatistas.

    De acordo com as palavras do representante especial, os Estados também condenaram o crescimento de atividade terrorista em diversas partes da Síria, o que provoca vítimas entre os civis.

    "[Rússia, Turquia e Irã] concordaram continuar a cooperação a fim de liquidação final do Daesh, Jabhat al-Nusrah [organizações terroristas proibidas na Rússia] e todas as outras pessoas, grupos, entidades e organizações ligadas à Al-Qaeda ou Daesh [organizações terroristas proibidas na Rússia] e quaisquer outros grupos reconhecidos como tais pelo Conselho de Segurança da ONU", adicionou ele.

    Apelos a Israel a parar tiroteio da Síria

    Além disso, os Estados chamaram Israel a parar tiroteios da Síria uma vez que o disparo violar a lei internacional e colocam em perigo a segurança da região, diz o comunicado.

    "[Rússia, Turquia e Irã] condenaram os contínuos ataques militares de Israel na Síria, que violam o direito internacional e o direito internacional humanitário, minam a soberania da Síria e países vizinhos e também ameaçam a estabilidade e segurança na região, e apelaram a que sejam parados", de acordo com o comunicado.

    Mais:

    Think tank aponta para número excessivo de vítimas civis durante operações dos EUA na Síria e Iraque
    Irã ameaça Israel caso o país continue os ataques à Síria: 'Resposta será mais dura'
    Defesa antiaérea da Síria repele ataque israelense em Damasco, diz mídia (VÍDEOS, FOTOS)
    Tags:
    Irã, Sochi, Turquia, Rússia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar