04:41 13 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)
    2 0 0
    Nos siga no

    A África do Sul disse nesta terça-feira (16) que ofereceu suas doses da vacina de Oxford/AstraZeneca à União Africana (UA), após descartar o uso do imunizante por conta de preocupações com a eficácia da vacina contra a variante sul-africana.

    O país suspendeu uso da vacina depois que um estudo apontou falha no imunizante em prevenir doenças leves e moderadas causadas pela variante do novo coronavírus encontrada na África do Sul. A vacinação no país, com a vacina de Oxford/AstraZeneca, teria início neste mês.

    "As doses que compramos foram oferecidas à União Africana para distribuição aos países que já manifestaram interesse em adquirir o estoque. […] Não haverá desperdícios nem gastos sem resultados", afirmou o ministro da Saúde da África do Sul, Zweli Mkhize, conforme noticiado pela AFP.

    A UA garantiu cerca de 270 milhões de doses de vacinas para o continente e, na semana passada, disse que não "abandonaria" a fórmula da AstraZeneca. A organização ainda recomendou aos países onde a variante sul-africana não foi detectada que continuassem com a administração de qualquer vacina.

    A África do Sul aposta agora na vacina da Johnson & Johnson, que ainda não foi aprovada no país. Mesmo assim, o governo já garantiu nove milhões de doses, incluindo 80.000 injeções com entrega prevista para esta semana.

    Segundo Mkhize, a vacinação no país começará com os profissionais de saúde como parte de um estudo de implementação.

    Enfermeira coletando sangue de paciente que recebeu vacina da AstraZeneca contra a COVID-19 na África do Sul
    © AP Photo / Jerome Delay
    Enfermeira coletando sangue de paciente que recebeu vacina da AstraZeneca contra a COVID-19 na África do Sul

    Também nesta terça-feira (16), uma matéria do The Economic Times informou que autoridades da África do Sul pediram que o Instituto Serum da Índia pegasse de volta um milhão de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca, já que o país não pretende mais utilizá-las.

    O país emergiu recentemente de sua segunda onda de infecções, vendo o número de casos diários cair de máximas de 20.000 no início de janeiro para pouco mais de 1.000 nesta segunda-feira (15). O país já acumula cerca de 1,5 milhão de infecções, além de mais de 48 mil mortes causadas pela pandemia.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)

    Mais:

    Nova cepa sul-africana do SARS-CoV-2 é mais contagiosa do que a original
    Sul-africanos ficam novamente infectados com COVID-19 após terem se recuperado do vírus
    Duas vacinas russas contra COVID-19 são eficazes contra nova cepa britânica do coronavírus
    'Brasil precisa buscar ajuda no exterior', diz especialista sobre spray contra a COVID-19
    COVID-19 pode causar inflamação em canal dos testículos, aponta estudo da USP
    Tags:
    vacina, União Africana, novo coronavírus, pandemia, COVID-19, África do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar