22:26 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 131
    Nos siga no

    A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) terá de reduzir seus controles de inspeção no Irã, segundo uma lei de dezembro, informou um representante iraniano.

    O Irã notificou a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) que limitará suas inspeções, disse na segunda-feira (15) Kazem Gharib Abadi, representante de Teerã ante organizações internacionais em Viena, Áustria.

    A lei aprovada pelo Parlamento [iraniano] entrará em vigor nos prazos previstos (23 de fevereiro), e hoje a AIEA foi informada para assegurar uma transição suave para um novo rumo até lá. Afinal, boa vontade traz boa vontade!

    Em dezembro de 2020, o Irã aprovou a Ação Estratégica para o Cancelamento de Sanções, que obriga o governo a suspender os controles alargados da AIEA sobre a atividade nuclear iraniana, a aumentar substancialmente o grau de enriquecimento de urânio, e a usar centrífugas acima do estipulado nas cláusulas do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), comumente conhecido como acordo nuclear.

    Com a aprovação dessa lei, Teerã busca o cancelamento das sanções e restrições às suas exportações de petróleo e operações financeiras.

    Em julho de 2015, o Irã e seis mediadores internacionais – Rússia, EUA, Reino Unido, China, França e Alemanha, assinaram o JCPOA, que impôs uma série de limitações ao programa nuclear iraniano com o objetivo de excluir sua possível dimensão militar, em troca do cancelamento das sanções internacionais.

    Em maio de 2018, os EUA deixaram o acordo e começaram a impor sanções unilaterais contra o Irã com o argumento de que Teerã continuava a desenvolver armas nucleares.

    Um ano depois, o Irã, em resposta, começou a reduzir gradualmente seus compromissos com o acordo nuclear.

    Mais:

    Ministro iraniano condena tentativa europeia de convencer Teerã a voltar ao acordo nuclear sem EUA
    Irã poderia construir bomba nuclear em 2 anos, diz general israelense
    Biden usaria acordo nuclear para pressionar Irã sobre mísseis e seu 'patrocínio a grupos locais'
    Tags:
    Irã, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Viena, Áustria, Parlamento, Parlamento do Irã, Plano de Ação Conjunto Global, JCPOA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar