07:47 28 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    12813
    Nos siga no

    Nesta sexta-feira (5), o tribunal internacional declarou que a Cisjordânia, Jerusalém Oriental e a Faixa de Gaza estão sob sua jurisdição.

    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, acusou o Tribunal Penal Internacional (TPI) de ser "um órgão político e não uma instituição judicial" por dar luz verde à investigação de alegados crimes cometidos em territórios palestinos pelas forças israelenses. As últimas utilizariam como justificação de suas ações as operações antiterroristas contra o grupo Hamas.

    Nesta sexta-feira (5), o tribunal internacional proclamou sua jurisdição sobre os territórios da Cisjordânia, Jerusalém e da Faixa de Gaza, ocupados por Israel desde 1967.

    Netanyahu, no entanto, apontou que o estado judeu não faz parte do Estatuto de Roma, a base fundadora da instituição judicial que critica, e acusou o TPI de subverter o direito de países democráticos se autodefenderem contra o terrorismo, assim como de promover a causa "dos que sabotam os esforços para a extensão do círculo da paz".

    "O TPI se recusa a investigar ditaduras brutais como o Irã e a Síria, que cometem atrocidades horríveis quase diariamente", declarou o primeiro-ministro israelense. "Lutaremos contra essa perversão da justiça com todas nossas forças!''

    Netanyahu classifica a decisão do TPI como "puro anti-semitismo", iniciando um argumento que provavelmente afetará muitos israelenses que acreditam que as críticas, especialmente vindas da Europa, às políticas israelenses em relação aos à Palestina têm suas raízes no sentimento anti-judaico, segundo a agência Reuters.

    A decisão do TPI remove um obstáculo legal importante que impedia uma investigação completa dos supostos crimes de guerra cometidos em Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental.

    Mais:

    Bombardeiros B-52 dos EUA sobrevoam Oriente Médio (FOTOS)
    Agressão de Israel e EUA pode fazer Irã mudar regra religiosa antiarmas nucleares, diz ex-diplomata
    Com vacinas doadas por Israel, Palestina dá início à imunização contra a COVID-19
    Tags:
    crimes de guerra, investigação, Tribunal Penal Internacional (TPI), Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar