01:25 07 Março 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 01
    Nos siga no

    Conflitos tribais estouraram nesta segunda-feira (18) no estado de Darfur do Sul, no Sudão, matando ao menos 47 pessoas, segundo fontes locais.

    De acordo com um líder da tribo Fallata ouvido pela Agence France-Presse, as mortes teriam sido provocadas por membros da tribo Rizeigat, árabe e muçulmana. Estes teriam organizado um ataque contra a vila de Sadoun, habitada pelos Fallata, usando veículos, motocicletas e camelos.

    "O ataque deixou várias casas queimadas", disse Mohamed Saleh, citado pela AFP. "Os confrontos entre a tribo Rizeigat e a tribo Fallata pararam e agora contamos 47 mortes."

    A violência ocorrida hoje (18) em Darfur do Sul se deu após outro incidente, registrado no último final de semana, envolvendo grupos étnicos rivais, que deixou ao menos 83 mortos em Darfur Ocidental

    A escalada dos conflitos nos dois estados é uma das mais significativas desde a assinatura de um acordo de paz em outubro, que os observadores esperavam que acabasse com anos de guerra. Enquanto as ex-forças rebeldes se comprometeram a depor suas armas, décadas de conflito deixaram a vasta região ocidental inundada de armas e dividida por amargas rivalidades, destaca a agência francesa. Entre as principais disputas estão reivindicações de posse de terra e acesso à água. 

    ​Os enfrentamentos também se dão em um cenário de vazio deixado pelo fim da Missão das Nações Unidas e da União Africana em Darfur (UNAMID), força de paz que atuou por mais de 13 anos na região, até 31 de dezembro de 2020.

    Mais:

    Reforço russo na África: Putin aprova construção de base naval no Sudão
    Sudão vai receber cerca de 200 mil refugiados da Etiópia, diz programa da ONU
    EUA retiram Sudão da lista de países que apoiam o terrorismo depois de 27 anos
    Riad parabeniza EUA por remover Sudão da lista de apoiadores do terrorismo
    Tags:
    conflito, tribos árabes, África, morte, Darfur, Sudão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar