19:30 08 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4192
    Nos siga no

    Cientistas nucleares iranianos começaram a projetar um novo reator que deverá ser semelhante ao reator de água pesada de Arak, informou no domingo (10) Abolfazl Amouei, porta-voz da Comissão de Política Externa e Segurança Nacional do Parlamento do Irã.

    "A Organização de Energia Atômica do Irã anunciou estar empenhada no gráfico de preparo de design de reator, semelhante ao reator de água pesada de Arak", afirmou Amouei à agência ISNA, acrescentando que será apresentado em breve um relatório sobre o assunto.

    No início de dezembro, o Conselho de Guardiões do Irã aprovou uma lei que visa suspender as inspeções da ONU em suas instalações nucleares e liberar enriquecimento de urânio além do limite estabelecido no âmbito do acordo de 2015, caso sanções contra a nação persa não sejam canceladas em um prazo de dois meses após a aprovação da lei.

    Central nuclear de Bushehr, no Irã (imagem referencial)
    © AFP 2021 / BEHROUZ MEHRI
    Central nuclear de Bushehr, no Irã (imagem referencial)
    A lei determina o uso de centrífugas de nova geração dentro dos próximos três meses, mil centrífugas IR-2M e um mínimo de 174 centrífugas IR-6 com uma perspectiva de aumentar o seu número para mil até o final do ano.

    No âmbito do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) de 2015, o limite de enriquecimento de urânio permitido ao Irã corresponde a 3,67%. Anteriormente, foi reportado que urânio está sendo enriquecido a 20% na instalação subterrânea de Fordow.

    Mais:

    Líder do Irã diz não ter pressa para que EUA voltem ao acordo nuclear, mas exige fim das sanções
    Irã pode 'facilmente' enriquecer urânio até 90%, mas estaria ponderando 'se há necessidade disso'
    Parlamentar iraniano ameaça expulsar inspetores nucleares se EUA não cancelarem sanções
    Tags:
    reator nuclear, Organização de Energia Atômica do Irã, Oriente Médio, Irã, usina nuclear, enriquecimento de urânio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar