13:44 16 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5138
    Nos siga no

    O Irã anunciou na última segunda-feira (4) a retomada do enriquecimento de urânio a 20% em sua instalação nuclear subterrânea de Fordow. A informação foi divulgada pelo porta-voz do governo iraniano, Ali Rabeie.

    A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, declarou nesta terça-feira (5) que a decisão do Irã de retomar o enriquecimento de urânio é um desvio do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) sobre o programa nuclear iraniano, mas destacou que a principal causa para tais desvios é a ação dos EUA.

    "Nos últimos anos, na comunidade internacional se criou o entendimento claro que a causa inicial de tais desvios são as violações grosseiras e sistemáticas das obrigações internacionais pelos EUA, que, contrariando o Artigo 25 da Carta da ONU, não cumprem a Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU e obstaculizam deliberadamente seu cumprimento pelos outros países", disse ela.

    Zakharova lembrou que o projeto Plano de Ação Conjunto Global para reaproveitar a produção de isótopos estáveis está ​​há muito tempo sob as sanções de Washington, o que é absolutamente inaceitável.

    Técnicos iranianos trabalham em uma instalação de produção de combustível de urânio para um reator nuclear
    © AP Photo / Vahid Salemi
    Técnicos iranianos trabalham em uma instalação de produção de combustível de urânio para um reator nuclear

    A medida iraniana corresponde a uma violação do Plano de Ação Conjunto Global, que prevê a eliminação das reservas iranianas de urânio enriquecido. Segundo o acordo nuclear, o limite máximo para enriquecimento de urânio do Irã é de 3,67%.

    A representante oficial da chancelaria russa também declarou que, para reverter os danos causados ​​ao JCPOA, os EUA precisam interromper seu curso para minar o acordo internacional. De acordo com ela, Teerã, por sua vez, também terá que tomar medidas recíprocas significativas assim que Washington começar a retomar o acordo nuclear.

    Os EUA saíram unilateralmente do acordo em 2018 e, um ano depois, Teerã extrapolou o limite, deixando o nível de enriquecimento estável em 4,5% desde então.

    Mais:

    Netanyahu: 'Israel não permitirá que Irã produza armamento nuclear'
    Irã não iniciará guerra, mas 'é capaz de converter porta-aviões dos EUA em submarinos', diz general
    EUA acusam Irã de 'extorsão nuclear' após declaração de enriquecimento
    Tags:
    enriquecimento de urânio, urânio enriquecido, urânio, acordo nuclear, Maria Zakharova, Rússia, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar