00:03 07 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 212
    Nos siga no

    Líderes iraquianos pediram a retirada das tropas estrangeiras do país durante o primeiro aniversário do ataque de drones dos EUA que matou o major-general iraniano Qassem Soleimani e o comandante iraquiano Abu Mahdi Al-Muhandis.

    No domingo (3), durante a manifestação de milhares de apoiadores das Forças de Mobilização Popular do Iraque no centro de Bagdá, o chefe da Organização Badr apoiada pelo Irã, Hadi Al-Amiri, disse aos manifestantes que o governo deve cumprir sua promessa de remover todas as forças estrangeiras, especialmente as dos Estados Unidos, de acordo com cronograma, segundo informou a agência Xinhua.

    "A estabilidade da região depende da estabilidade do Iraque e o último só pode estar estabilizado com a saída de todas as forças estrangeiras de suas terras", disse Hadi Al-Amiri durante o protesto.

    Falih al-Fayyadh, chefe das Forças de Mobilização Popular, afirmou que a retaliação pela morte dos dois líderes xiitas será feita através da "aplicação da decisão do Conselho de Representantes do Iraque de retirada das forças dos EUA".

    A plena soberania do Iraque e a retirada dos militares norte-americanos é "um assunto que não pode ser comprometido", afirmou Al-Fayyadh durante a manifestação, enquanto manifestantes gritavam "vingança" e "não à América".

    A multidão também levantou bandeiras iraquianas e cartazes com fotos de Soleimani e Al-Muhandis, dizendo: "a vontade dos povos livres é mais forte do que a agressão dos EUA".

    Manifestação de apoiadores das Forças de Mobilização Popular no centro de Bagdá, Iraque, 3 de janeiro de 2020
    © REUTERS / THAIER AL-SUDANI
    Manifestação de apoiadores das Forças de Mobilização Popular no centro de Bagdá, Iraque, 3 de janeiro de 2020

    Os protestos foram realizados sob medidas de segurança rigorosas, semelhante as medidas implantadas em toda a capital nos últimos dias, bloqueando diversas estradas principais da cidade.

    O ataque dos drones americanos em 3 de janeiro de 2020 causou uma escalada nas tensões entre o Irã e os Estados Unidos na região.

    O ataque aéreo levou o parlamento iraquiano a aprovar uma resolução pedindo ao governo para acabar com a presença das forças estrangeiras no país.

    Mais:

    Assassinato 'tolo' de Soleimani ajudou a acabar com trumpismo, afirma Rouhani
    General do Irã adverte que 'algumas pessoas' dentro dos EUA podem se vingar por Soleimani
    Irã acusa empresa de segurança do Reino Unido de vazar informações sobre Soleimani para os EUA
    Ex-chefes do Mossad: Irã vai esperar até Biden ser presidente para vingar assassinato de Soleimani
    Tags:
    Bagdá, EUA, drone, Qassem Soleimani, Iraque, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar