00:44 16 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    54210
    Nos siga no

    EUA anteriormente enviaram bombardeiros B-52 para o golfo Pérsico, durante a aproximação do aniversário do assassinato de Qassem Soleimani, major-general iraniano de topo.

    O Departamento de Defesa norte-americano deverá enviar o USS Nimitz, seu único porta-aviões da Marinha operando no Oriente Médio, para a costa oeste dos EUA, anunciou na quinta-feira (31) Christopher Miller, secretário interino de Defesa, sem mencionar o Irã.

    Na quarta-feira (30), bombardeiros B-52 da Força Aérea norte-americana voaram dos EUA para o golfo Pérsico em uma demonstração de força militar, na expectativa de uma possível retaliação iraniana contra instalações norte-americanas ou aliadas.

    Suposto ataque do Irã

    Também na quinta-feira (31), a emissora CNN citou um oficial de Defesa dos EUA anônimo, que apontou a possibilidade de ataques a militares norte-americanos por "milícias com apoio iraniano".

    "Tem havido uma série de sinais perturbadores de planejamento avançado e preparação para ataques no Iraque que parece ser dirigida contra os militares e interesses dos EUA", relatou.

    De acordo com os três oficiais citados, não há planos ofensivos sendo preparados contra o Irã.

    Tensões no golfo Pérsico

    Washington tem procurado manter uma presença quase contínua de porta-aviões na região do golfo Pérsico. O USS Abraham Lincoln foi implantado em maio de 2019, em meio a preocupações de que o Irã estivesse atacando os interesses dos EUA na região.

    Preocupações mais recentes dos EUA têm estado ligadas à aproximação do primeiro aniversário do ataque aéreo americano que matou o principal militar do Irã, general Qassem Soleimani, em 3 de janeiro de 2020, bem como Abu Mahdi al-Muhandis, um alto comandante da milícia Shia, em Bagdá, Iraque.

    O Irã retaliou lançando mais de uma dúzia de mísseis balísticos em duas bases com soldados norte-americanos no Iraque em 8 de janeiro, e ameaçou repetidamente novos ataques.

    Mais tarde, em 27 de novembro, o cientista Mohsen Fakhrizadeh, considerado o pai do programa nuclear do Irã, acabou sendo assassinado. Teerã culpou Israel e EUA.

    Donald Trump, presidente dos EUA, tem perseguido uma política de "pressão máxima" contra o Irã, tendo saído do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) em 2018 e imposto cada vez mais sanções à nação persa ao longo de sua administração, mas perdeu oficialmente as eleições presidenciais de 2020 para o democrata Joe Biden, que se prepara para assumir o cargo em 20 de janeiro de 2021, prometendo reentrar no acordo nuclear.

    Mais:

    Irã afirma ter se infiltrado em conspiração dos EUA de fabricação de pretexto para guerra
    Irã acusa empresa de segurança do Reino Unido de vazar informações sobre Soleimani para os EUA
    Irã rotula aumento da atividade militar dos EUA no golfo Pérsico como 'show de provocação e medo'
    Tags:
    golfo Pérsico, CNN, Força Aérea dos EUA, Força Aérea, Departamento de Defesa dos Estados Unidos, Departamento de Defesa dos EUA, Qassem Soleimani, B-52, USS Nimitz, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar