09:11 28 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Coronavírus no mundo em meados de dezembro (87)
    170
    Nos siga no

    A Autoridade Reguladora Nacional de Saúde do Bahrein (NHRA, na sigla em inglês) aprovou oficialmente o registro de uma vacina contra a COVID-19 produzida pela empresa chinesa Sinopharm, informou a agência de notícias estatal BNA neste domingo (13).

    Na sexta-feira (11), o rei do Bahrein, Hamad bin Isa al-Khalifa, encarregou as autoridades de saúde de realizar uma campanha de vacinação gratuita contra a COVID-19 para todos os cidadãos e residentes do reino.

    De acordo com o publicado pela BNA, a decisão da NHRA de permitir o uso da vacina foi baseada nos resultados de ensaios clínicos realizados em vários países que comprovaram que a eficácia da vacina é de 86%. A vacina foi testada em 42.299 voluntários.

    A agência acrescentou que mais de 7,7 mil pessoas participaram da terceira fase dos testes no Bahrein e que os profissionais de saúde do Bahrein receberam as vacinas da Sinopharm antes mesmo do término dos testes, por meio da prévia aprovação emergencial da vacina.

    Em Purs, na Bélgica, um caminhão refrigerado deixa um fábrica da Pfizer, em 3 de dezembro de 2020
    © REUTERS / Yves Herman
    Em Purs, na Bélgica, um caminhão refrigerado deixa um fábrica da Pfizer, em 3 de dezembro de 2020

    A BNA não especificou o tipo exato de vacina da Sinopharm registrado pela NHRA: a vacina BBIBP-CorV desenvolvida pelo Instituto de Produtos Biológicos de Pequim ou a vacina projetada pelo Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan.

    Em 4 de dezembro, o Bahrein aprovou a vacina contra o novo coronavírus produzida pela parceria Pfizer-BioNTech para uso emergencial, depois que a vacina passou pela terceira fase de testes demonstrando nível de eficácia de 95%. A vacina vem sendo aprovada por agências sanitárias de vários países, como México, Estados Unidos e Reino Unido - onde a vacinação já começou.

    De acordo com os dados da Universidade Johns Hopkins, o Bahrein confirmou 145 casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas, com o número total de infecções chegando a 88.965. O país teve um total de 348 mortes causadas pela COVID-19 desde a chegada da doença ao seu território.

    Tema:
    Coronavírus no mundo em meados de dezembro (87)

    Mais:

    'Será distribuída em menos de 24 horas' diz Trump após FDA autorizar uso da vacina da Pfizer
    Datafolha: sobe para 22% o número de brasileiros que não querem vacina contra COVID-19
    Demora da vacina é maior erro político de Bolsonaro e pode prejudicar reeleição em 2022, afirma Maia
    Morre premiê de Bahrein, Khalifa bin Salman Al Khalifa
    Tags:
    Pfizer, COVID-19, Bahrein
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar