21:33 22 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    8153
    Nos siga no

    O jornalista começou a ganhar destaque quando criou o canal Amadnews em uma plataforma de mensagens, em 2015, e que atualmente dispõe de mais de um milhão de seguidores.

    O Irã executou a sentença de morte do jornalista Ruhollah Zam, acusado de incitar protestos econômicos no país em 2017, informou a agência iraniana Mehr.

    No final de junho, o porta-voz do Judiciário do país, Gholamhossein Esmaili, anunciou a sentença de morte de Zam, afirmando que o jornalista havia sido condenado por "corrupção na Terra", nome dado aos crimes capitais no Irã.

    Zam, responsável pelo canal Amadnews na plataforma de mensagens Telegram, foi preso em outubro de 2019 por suspeita de "atividade contrarrevolucionária". O ativista foi condenado por desempenhar um papel ativo nos protestos que envolveram todo o Irã de dezembro de 2017 a janeiro de 2018 e que vitimou ao menos 25 pessoas. Criado para protestar contra a carestia, o movimento foi chamado de "sedicioso" por Teerã.

    Mais:

    Bombardeiros dos EUA sobrevoam Oriente Médio em meio à tensão com Irã
    Irã envia maior flotilha de navios cisterna à Venezuela contra sanções dos EUA
    Irã estaria movendo instalação nuclear para dentro de montanha, revelam FOTOS de satélite
    Teerã critica Erdogan após ele alegar que províncias do Irã são parte da República do Azerbaijão
    Tags:
    Teerã, manifestação, movimento, execução, Irã, opositor
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar