06:58 25 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    01120
    Nos siga no

    Um alto funcionário militar dos EUA ressaltou que estas manobras são realizadas quando existe uma maior possibilidade de que ocorram "ações ou erros de cálculo iranianos".

    Dois bombardeiros estratégicos B-52H Stratofortress dos EUA sobrevoaram a região do Oriente Médio para "dissuadir o Irã", informa a emissora NBC News.

    As aeronaves realizaram esta demonstração como parte dos "esforços contínuos de dissuadir o Irã de qualquer ação agressiva", segundo comunicado do Comando Central dos EUA.

    A missão das aeronaves ocorre quando o comando militar norte-americano estima que haja uma elevada "possibilidade de ações ou erros de cálculo iranianos", ressaltou um alto funcionário militar dos EUA, em condição de anonimato.

    Um B-52H Stratofortress do 419º Esquadrão de Testes de Voo decola da Base Aérea de Edwards, Califórnia
    © Foto / Matthew Williams
    Um B-52H Stratofortress do 419º Esquadrão de Testes de Voo decola da Base Aérea de Edwards, Califórnia

    De acordo com informações, as aeronaves decolaram da base da Força Aérea de Barksdale, na Louisiana, para realizar uma missão de aproximadamente 36 horas, sobrevoando o continente europeu, o norte do mar Vermelho, a Arábia Saudita e o golfo Pérsico.

    O funcionário indicou que o risco de que se produza "um erro de cálculo por parte dos iranianos" é motivado por uma série de fatores, incluindo a retirada das tropas norte-americanas na região, a transição de poder nos EUA, além do país estar imerso na pandemia de COVID-19, enquanto o aniversário do assassinato do general iraniano Qassem Soleimani pelos EUA se aproxima.

    Mais:

    EUA enviam 4 bombardeiros estratégicos B-1 para Guam (FOTOS)
    Bombardeiros B-52 dos EUA simulam ataque aéreo contra Rússia
    Rússia intercepta 2 bombardeiros dos EUA se aproximando de suas fronteiras
    Tags:
    bombardeiros, bombardeiro estratégico, EUA, Oriente Médio, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar