18:59 15 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    21018
    Nos siga no

    Potências europeias expressaram seu descontento com anúncio do Irã de que pretende instalar novas centrífugas em suas instalações nucleares em Natanz. Segundo as potências europeias, esta decisão está fora dos limites do acordo fechado.

    França, Alemanha e Reino Unido declararam na segunda-feira (7) que ficaram alarmados com o anúncio iraniano de que o país pretende instalar centrífugas enriquecedoras de urânio avançadas adicionais e com a legislação que permite expandir seu programa nuclearde acordo com a agência Reuters.

    "Se o Irã leva a sério a preservação de espaço para a diplomacia, não deve aplicar estas medidas", diz a declaração conjunta das três potencias, que junto com a China e Rússia fazem parte do acordo nuclear com Teerã, o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês).

    O Irã pretende instalar mais três cascatas de centrífugas avançadas IR-2m em sua usina de enriquecimento em Natanz, que foi construída no subsolo, de acordo com o relatório confidencial da Agência Internacional de Energia Atômica obtido pela agência Reuters.

    Conforme acordo nuclear JCPOA, Teerã pode usar apenas centrífugas de primeira geração IR-1 em Natanz, que refinam urânio mais devagar. São as únicas máquinas com que o Irã pode acumular reservas enriquecidas.

    "Anúncio recente do Irã para a Agência Internacional de Energia Atômica sobre intenção de instalar três cascadas adicionais de centrífugas avançadas na Usina de Enriquecimento de Combustível em Natanz é contrário ao JCPOA e profundamente preocupante", segundo declararam as três potências sobre o relatório do órgão da ONU que ainda não foi tornado público, citado pela Reuters.

    As potências também afirmaram que a nova lei que obriga o Irã a suspender inspeções da ONU em suas usinas nucleares e aumentar o enriquecimento além dos limites do acordo é incompatível com o acordo e os compromissos mais abrangentes de não proliferação do Irã.

    Imagem de satélite mostra a central nuclear de Natanz, no Irã, após incêndio (arquivo)
    © REUTERS . Handout
    Imagem de satélite mostra a central nuclear de Natanz, no Irã, após incêndio (arquivo)

    Esta medida comprometeria os esforços comuns para preservar JCPOA e a oportunidade importante para o regresso à diplomacia com o novo governo dos EUA, declararam as potências europeias se referindo a Joe Biden.

    "O regresso ao JCPOA também seria benéfico para o Irã", acrescentaram.

    Quando os EUA saíram do acordo JCPOA em 2018, Teerã decidiu anular alguns de seus compromissos nucleares devido à imposição de sanções severas que danificaram a economia iraniana.

    Mais:

    Presidente iraniano se opõe a projeto para liberar enriquecimento de urânio
    Parlamento do Irã aprova projeto de lei para impulsionar setor nuclear
    Rússia espera retorno dos EUA ao acordo nuclear iraniano
    Ex-Mossad censura CIA por criticar morte de Fakhrizadeh: eles 'realizaram no passado atos similares'
    Tags:
    acordo nuclear, Natanz, Reino Unido, Alemanha, França, usina nuclear, programa nuclear, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar