00:51 17 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    305
    Nos siga no

    Um adolescente palestino foi morto nesta sexta-feira (4) em confrontos com o Exército israelense durante protestos contrários à criação de assentamentos na Cisjordânia ocupada, informou o Ministério da Saúde da Palestina.

    Ali Ayman Nasr Abou Aliya, de 13 anos, "sucumbiu aos ferimentos após ser atingido por disparos no abdômen" durante os confrontos ao norte de Ramallah, disse o ministério em um comunicado.

    O jovem foi baleado durante uma manifestação no vilarejo de Mughayir e foi levado em estado crítico para um hospital em Ramallah, onde não resistiu aos ferimentos e morreu.

    Ministério da Saúde da Palestina: O jovem baleado pelas forças de ocupação morreu esta tarde na vila de Mughayir, a nordeste de Ramallah.

    De acordo com o prefeito de Mughayir, Amine Abou Aliya, citado pela agência oficial de notícias palestina Wafa, o Exército de Israel "dispersou violentamente" os palestinos que se manifestavam contra a criação de um assentamento israelense na área. Segundo a Wafa, outros quatro palestinos foram feridos por tiros de soldados israelenses.

    Segundo a agência de notícias AFP, o Exército israelense negou o uso de disparos com munição real durante a dispersão do protesto, mas manifestou que tinha conhecimento "de relatos sobre vários manifestantes feridos e uma vítima palestina".

    Uma porta-voz do Exército de Israel disse à AFP que dezenas de manifestantes atiraram pedras contra as forças de segurança.

    "Os manifestantes tentaram lançar pedregulhos e pneus queimados do alto de uma colina acima da estrada Allon, colocando em risco a vida dos civis que trafegavam na rota", disse a porta-voz, que acrescentou que "as forças de segurança [de Israel] impediram os manifestantes de bloquear a estrada e responderam com meios de dispersão de motins".

    A Cisjordânia é um território palestino ocupado desde 1967 pelo exército israelense. Mais de 450 mil israelenses vivem em assentamentos na Cisjordânia, que é habitada por aproximadamente 2,8 milhões de palestinos.

    Mais:

    Palestina pedirá que Biden transfira embaixada dos EUA em Israel de volta a Tel Aviv
    Palestinos aceitam dinheiro de impostos de Israel para aliviar crise econômica
    Palestinas contrabandeiam esperma de condenados por terrorismo em Israel a fim de conceber filho
    Tags:
    confrontos, protestos, Israel, Cisjordânia, Palestina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar