23:36 15 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1420
    Nos siga no

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, declarou nesta sexta-feira (4) que o Irã estaria sinalizando "desesperadamente" sua disposição de retornar à mesa de negociações para obter o alívio das sanções.

    O chefe da diplomacia norte-americana, no entanto, não deu detalhes sobre como Washington responderia a Teerã, caso o país manifestasse o desejo de voltar a negociar acordo nuclear.

    "Sabemos que nossa campanha está funcionando porque agora os iranianos estão sinalizando desesperadamente sua disposição de retornar à mesa de negociações para obter alívio das sanções", disse Pompeo em discurso virtual durante a realização do Diálogo de Manama do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS, na sigla em inglês).

    As tensões entre Washington e Teerã vêm aumentando desde 2018, quando o presidente dos EUA, Donald Trump, abandonou o acordo nuclear iraniano de 2015 e restaurou duras sanções econômicas para pressionar Teerã a negociar restrições mais rígidas em seu programa nuclear.

    ​O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, ainda antes das eleições norte-americanas, havia manifestado a intenção de voltar a aderir ao acordo nuclear com o Irã, como ponto de partida para negociações posteriores com o país.

    O secretário de Estado acrescentou que, sob a administração do presidente Donald Trump, os Estados Unidos impuseram 77 rodadas de sanções relacionadas ao Irã, visando cerca de 15.000 indivíduos e entidades.

    Mais:

    Netanyahu encarrega próximo presidente dos EUA contra regresso ao acordo nuclear com Irã
    'Devem sair': Irã critica presença de tropas dos EUA na Síria, exigindo sua retirada imediata
    Irã promete resposta 'calculada e precisa' ao assassinato de cientista nuclear
    Joe Biden pretende retornar ao acordo nuclear com Irã
    Tags:
    secretário de Estado, negociações, Mike Pompeo, acordo nuclear, eua, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar