20:44 28 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    070
    Nos siga no

    O presidente do Irã, Hassan Rouhani, se disse contrário hoje (2) ao projeto de lei aprovado pelo parlamento iraniano que prevê a suspensão das inspeções da ONU e o aumento do enriquecimento de urânio no país.

    De acordo com Rouhani, a medida seria prejudicial aos esforços diplomáticos voltados para restaurar o acordo nuclear de 2015 e aliviar as sanções dos Estados Unidos contra Teerã.

    Na última terça-feira (1º), 251 parlamentares iranianos aprovaram um projeto de lei para impulsionar a atividade do setor de energia nuclear, contemplando a produção e o armazenamento de 120 quilos de urânio a 20%, mais do que o exigido para fins civis mas ainda abaixo do necessário para armas nucleares. 

    ​A proposta, debatida na sequência do assassinato de um importante cientista envolvido no programa nuclear do país, é suspender as inspeções realizadas por especialistas internacionais e exigir que o governo retome o enriquecimento de urânio se os países europeus não fornecerem alívio às sanções dos EUA contra os setores bancário e de petróleo do Irã. No entanto, segundo o presidente, o governo não concorda com esse caminho e o considera danoso à diplomacia.

    "Hoje, nós somos mais poderosos na área nuclear do que em qualquer outra época", disse ele durante uma reunião de gabinete nesta quarta-feira (2), citado pela Associated Press.

    O polêmico projeto aprovado foi enviado formalmente para Rouhani, que agora terá cinco dias úteis para assinar o texto e transformá-lo em lei. Mas é o líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei, que tem a palavra final sobre todas as políticas de grande importância para o país, incluindo as relacionadas ao programa nuclear, destaca a AP.

    Mais:

    Cientista nuclear de grande importância é assassinado no Irã, diz mídia (FOTO, VÍDEOS)
    EUA enviam navios ao golfo Pérsico, excluindo conexão com assassinato de cientista no Irã, diz mídia
    Irã promete resposta 'calculada e precisa' ao assassinato de cientista nuclear
    Tags:
    Irã, Teerã, Hassan Rouhani, EUA, Europa, Estados Unidos, sanções, programa nuclear, urânio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar