11:57 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, rejeitou hoje (19) as alegações de que estaria apoiando o povo de Tigré contra o governo da Etiópia, seu país natal.

    Anteriormente, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Etiópia, o general Birhanu Jula Gelalcha, acusou Tedros, um etíope de ascendência tigrínia, de tentar solicitar apoio militar para a região de Tigré, que vem sendo alvo de uma operação de segurança do governo federal.

    "Houve relatos sugerindo que estou assumindo um lado nesta situação. Isso não é verdade. Quero dizer que estou apenas de um lado, o lado da paz", disse Tedros em um comunicado emitido nesta quinta-feira (19).

    O diretor-geral da OMS assinalou que está "de coração partido" pela situação em seu país, em meio a relatos de mortes e do êxodo de refugiados, e também manifestou preocupação sobre o possível impacto do conflito na saúde em meio à pandemia de COVID-19. 

    Meu comunicado sobre a situação na Etiópia.

    "Quando criança, eu presenciei a natureza destrutiva da guerra. Lembro muito bem da luta e dos terríveis custos humanos. Como adulto, usei essa experiência em primeira mão para sempre trabalhar pela paz, para reunir as partes beligerantes para iniciar o diálogo e negociar a paz", afirmou.

    Os combates no norte da Etiópia começaram no início de novembro depois que o governo federal acusou a Frente Popular para a Libertação de Tigré (FPLT), o partido que controla o poder na região, de atacar uma base militar e lançou uma operação de segurança contra o grupo.

    Os confrontos que se seguiram, que já resultaram em centenas de mortes e forçaram mais de 30 mil refugiados para o vizinho Sudão, geraram temores internacionais de uma nova guerra civil no país africano.

    Mais:

    Por que a Etiópia está à beira de uma guerra civil?
    Etiópia diz que conflito em Tigré terminará 'em pouco tempo'
    OMS registra recorde diário de novos casos de COVID-19
    'Lockdowns são evitáveis', diz diretor da OMS sobre 2ª onda de COVID-19 na Europa
    Tags:
    violência, conflito armado, Etiópia, Organização Mundial da Saúde (OMS)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar