07:36 26 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    182
    Nos siga no

    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, enfrentou protestos no aeroporto Ben Gurion, em Tel Aviv, ao embarcar para os EUA para assinatura de acordo com os Emirados Árabes Unidos e o Bahrein. 

    O líder israelense viajou neste domingo (13) para os Estados Unidos, que mediaram os acordos de paz assinados recentemente com os dois países árabes.

    Mais cedo, Netanyahu anunciou três semanas de lockdown no país, com início previsto para sexta-feira (18), em razão de alta de casos do novo coronavírus.

    "Netanyahu é indiciado em vários casos, mas ele escolhe fechar o país por três semanas, o que é uma loucura, e partir para os Estados Unidos", disse uma manifestante à Sputnik. 

    'Ministro criminoso'

    Algumas pessoas chegaram a tentar bloquear a entrada do terminal de embarque do aeroporto. Alguns dos manifestantes portavam bandeiras de Israel e cartazes de protestos. Durante o ato, os presentes cantaram palavras de ordem como "Netanyahu é um ministro criminoso" e "Exigimos investigação já".

    Посмотреть эту публикацию в Instagram

    Публикация от Hidden Sidewalks (@hidden_sidewalks)

    Em 13 de agosto, Israel e Emirados Árabes concordaram em normalizar relações diplomáticas. O acordo prevê a suspensão dos planos israelenses de anexação de partes da Cisjordânia.

    Посмотреть эту публикацию в Instagram

    Публикация от Simon Kezerman (@kezermans)

    Um mês depois, em 11 de setembro, o rei do Bahrein, Hamad bin Isa Al Khalifa, também aceitou formalizar um acordo semelhante. A cerimônia de assinatura dos dois acordos está prevista para ocorrer na terça-feira (15), em Washington.  

    Manifestantes pedem renúncia de premiê

    No plano doméstico, Netanyahu enfrentará um julgamento por corrupção em janeiro do ano que vem. As acusações enfraqueceram seu poder e ajudaram a fomentar uma crise política no país, que em 2019 precisou passar por três eleições gerais.

    Посмотреть эту публикацию в Instagram

    Публикация от rotemvo (@rotemvo)

    Os manifestantes pedem a renúncia de Netanyahu devido às acusações, mas também o criticam pela condução da política de combate à COVID-19 no país. 

    Mais:

    Netanyahu diz ter feito reuniões secretas com líderes árabes que buscam normalizar laços com Israel
    Netanyahu aceita venda de caças F-35 dos Estados Unidos aos Emirados Árabes
    UE celebra acordo entre Israel e Bahrein, mas cita defesa de um Estado palestino
    Tags:
    corrupção, protestos, Benjamin Netanyahu, Cisjordânia, anexação, Tel Aviv, EUA, Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Israel, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar