12:12 05 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 96
    Nos siga no

    O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse neste domingo (30) que realizou reuniões, algumas delas mantidas em sigilo, com líderes árabes e muçulmanos interessados ​​em normalizar as relações com Israel.

    A declaração foi feita em uma coletiva de imprensa conjunta após sua reunião com o conselheiro de segurança nacional dos Estados Unidos, Robert O’Brien, e o conselheiro presidencial sênior Jared Kushner, em Jerusalém, antes da visita das delegações oficiais dos EUA e de Israel aos Emirados Árabes Unidos.

    "Há dois anos, visitei Omã, um ano atrás, visitei o Chade, meio ano atrás me encontrei com o líder do Sudão. E essas são algumas das etapas divulgadas. Existem muitos outros encontros não divulgados com líderes árabes e muçulmanos que reconheceram que seus verdadeiros interesses são normalizar as relações com o Estado de Israel", disse Netanyahu.

    No início de agosto, Israel e Emirados Árabes Unidos fecharam um acordo mediado pelos Estados Unidos para estabelecer relações diplomáticas plenas e trocar embaixadas. Em contrapartida, Israel aceitou pausar projetos de anexar territórios da Palestina. A Autoridade Palestina considerou o acordo um ato de traição. 

    O presidente dos Emirados Árabes Unidos, Khalifa bin Zayed Al Nahyan, emitiu um decreto no sábado (29) para encerrar o boicote econômico a Israel. Agora, empresas e empreendedores do país estão autorizados a concluir acordos comerciais e financeiros com empresas israelenses. As companhias de Israel também foram autorizadas a importar produtos dos Emirados Árabes Unidos.

    Netanyahu elogiou a decisão, acrescentando que a medida abre caminho para a cooperação econômica entre as duas nações.

    Mais:

    'Solução de 2 Estados': Bahrein frustra EUA e se opõe a normalizar relações com Israel
    Recém-amigos: ex-agente do Mossad conta como Israel e EAU chegaram a acordo de paz
    Emirados Árabes ordenam cancelamento de bloqueio econômico a Israel, segundo relatos
    Israel e Emirados Árabes planejam construir bases de espionagem no Iêmen, diz mídia
    'Se Israel matar um de nossos combatentes, mataremos um dos deles', advertiu o líder do Hezbollah
    Tags:
    Estados Unidos, Benjamin Netanyahu, árabes, oriente médio, israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar