08:51 01 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    103
    Nos siga no

    Quatorze habitantes de uma ilha camaronesa no lago Chade, perto da fronteira com a Nigéria, foram mortos por supostos jihadistas após decidirem não deixá-los se reabastecer por lá, informaram forças de segurança nigerianas.

    Segundo a AFP, combatentes do Estado Islâmico na África Ocidental (Iswap; organização extremista proibida na Rússia e em vários países) chegaram de lancha à ilha de Bulgaram na noite de terça-feira (25), vindos da Nigéria, e cometeram os assassinatos. 

    "Eles chegaram às 18h30 (14h30, no horário de Brasília), enquanto as pessoas se preparavam para as orações da noite, e mataram 14 líderes comunitários", disse uma fonte local à Agence France-Presse.

    Testemunhas afirmaram que algumas vítimas foram mortas a tiros em suas casas, enquanto outras foram assassinadas em uma mesquita, durante a oração. 

    ​O ataque teria sido lançado depois que a localidade, importante para a logística do Iswap, decidiu bloquear o fornecimento de itens de primeira necessidade aos terroristas, baseados do outro lado do lago, em território nigeriano.

    Mais:

    Explosão de caminhão-tanque deixa mortos e feridos na Nigéria (IMAGENS FORTES)
    Explosão nos Camarões: autoridades suspeitam de separatistas anglófonos
    Piratas capturam navio mercante com 3 cidadãos russos a bordo perto de Camarões
    Tags:
    Estado Islâmico, AFP, África, lago Chade, Camarões, Nigéria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar