20:48 25 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1230
    Nos siga no

    Enquanto a Líbia está dividida entre forças antagônicas, Governo do Acordo Nacional (GNA) decidiu anunciar um cessar-fogo nesta sexta-feira (21), após anos de conflito com o Exército Nacional Líbio.

    Conselho Presidencial do Governo do Acordo Nacional da Líbia instruiu suas forças militares para que cessassem todos os combates em todo o território líbio, publicou a canal de TV France 24.

    Em declaração, o conselho disse que a ordem foi emitida "com base em sua própria responsabilidade política e nacional diante da situação que o país e a região têm vivido, assim como devido à responsabilidade diante das circunstâncias da pandemia do coronavírus".

    Por sua vez, o porta-voz do Parlamento do Leste, ligado ao Exército Nacional Líbio (LNA, na sigla em inglês), Aguila Saleh, conclamou todos os lados do conflito a um cessar-fogo.

    Em declaração, Saleh disse que seu pedido de fim das hostilidades surgiu também "devido a sua responsabilidade nacional e política e à atual situação no país e na região, assim como às circunstâncias da pandemia".

    A notícia foi bem recebida pela vice-chefe da missão da ONU na Líbia, Stephanie Williams.

    "Estas duas declarações levantam de novo a esperança de busca de uma solução política e pacífica da longa crise líbia, o que levará à realização da vontade do povo líbio de viver em paz e dignidade", disse Williams.

    O GNA também afirmou que "o objetivo final do anúncio de cessar-fogo é a restauração da total soberania sobre as terras líbias e a saída das forças estrangeiras e mercenários".

    É válido ressaltar que tais declarações foram feitas após o Exército Nacional Líbio anunciar a retomada do trabalho dos portos petrolíferos e das jazidas de petróleo do país, o que indicaria que um acordo político não seria impossível de ser alcançado.

    Conflito na Líbia

    Desde 2011, ano em que o ex-presidente da Líbia Muammar Kadhafi foi morto por insurgentes, o país tem vivido embates entre forças antagônicas, em grande parte tribais.

    Os confrontos também têm incluído a participação de intervenção estrangeira, como a ajuda da Turquia ao GNA no conflito contra o Exército Nacional Líbio.

    Mais:

    Parlamento do Egito aprova ação militar das Forças Armadas no exterior
    Irã cita Hiroshima e diz que Israel e EUA são ameaças nucleares para o Oriente Médio
    Cerca de 160 mercenários são presos no Sudão a caminho da Líbia
    Tags:
    pandemia, novo coronavírus, COVID-19, Khalifa Haftar, conflito, LNA, GNA, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar