07:02 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    415
    Nos siga no

    Neste domingo (9), manifestantes em Beirute invadiram os edifícios do Ministério do Trabalho e do Ministério para Assuntos de Refugiados.

    A informação foi publicada pela Agência Nacional de Notícias do Líbano. A capital libanesa vive o segundo dia de protestos contra o governo, desencadeados pela crise econômica no país e pela recente explosão no porto de Beirute, que matou pelo menos 158 pessoas e deixou pelo menos seis mil feridos.

    De acordo com canais de TV libaneses, um incêndio começou na entrada da praça do Parlamento libanês enquanto multidões de manifestantes tentavam invadir a área isolada.

    No início do dia, a mídia local informou ainda que a polícia usou gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar manifestantes que atiravam pedras contra os militares perto do prédio do Parlamento.

    Milhares de manifestantes protestam contra o governo em frente ao Parlamento libanês, em Beirute. Ato terminou em confronto
    © REUTERS / Issam Abdallah
    Milhares de manifestantes protestam contra o governo em frente ao Parlamento libanês, em Beirute. Ato terminou em confronto

    As pessoas seguem nas ruas para expressar indignação com a corrupção que acreditam ser a causa do trágico incidente ocorrido na região portuária de Beirute, na terça-feira (4). Os manifestantes pedem a renúncia do governo, que gere o país em meio à pior crise econômica do Líbano desde o fim da guerra civil, em 1990.

    Horas após o início dos protestos, o primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, sugeriu realizar uma eleição parlamentar antecipada na segunda-feira (10) para iniciar a implementação das "reformas estruturais" necessárias.

    Neste domingo (9), o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, anunciou que o Brasil enviará ajuda humanitária e técnica ao Líbano devido à crise no país.

    Mais:

    Premiê do Líbano diz que corrupção causou explosão em Beirute
    Bolsonaro comunica ajuda ao Líbano e convida Temer para chefiar missão
    Ajuda ao Líbano é positiva, mas imagem do Brasil segue desgastada no exterior, dizem analistas
    Tags:
    Beirute, Líbano
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar