00:20 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    3412
    Nos siga no

    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, postou um vídeo em suas páginas no Facebook, Twitter e Instagram nesta sexta-feira (31) denunciando supostas ameaças de assassinato contra ele.

    O vídeo, intitulado "O incitamento ao assassinato do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e sua família está quebrando recordes", mostra uma montagem alegando ter recebido ameaças de manifestantes que protestaram em Israel nas últimas semanas.

    A publicação do vídeo segue uma queixa feita esta semana por Netanyahu no mesmo sentido, apontando para uma conta do Facebook que mais tarde se revelou falsa e foi excluída pela administração da rede social.

    Uma mulher aparece no último vídeo dizendo "vamos enterrar você, sua esposa e seus filhos". Outro homem diz que "sabemos por que você precisa de guardas de segurança, acredite em mim que sabemos. Um dia você ficará sem guarda-costas".

    O vídeo mostra um grafite em uma parede que diz "Morte a Bibi", apelido pelo qual Netanyahu é conhecido. Da mesma forma, uma tela aparece nas redes sociais em referência ao filho, onde se lê: "Gostaria que Yair Netanyahu logo ficasse órfão dos dois pais".

    A origem de todo o material que o primeiro-ministro israelense exibe e comenta no vídeo não está clara.

    Em Jerusalém, manifestantes e policiais se enfrentam durante protesto contra o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em 18 de julho de 2020.
    © REUTERS / Ammar Awad
    Em Jerusalém, manifestantes e policiais se enfrentam durante protesto contra o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em 18 de julho de 2020.

    Netanyahu, por sua vez, aparece dizendo: "Toda descoberta de incitação e ódio terrível nos protestos da esquerda e nos pedidos de assassinato não vai me impedir de agir em seu benefício e no nosso país".

    Um novo protesto contra Netanyahu vai acontecer na noite desta sexta-feira (31) perto de sua residência oficial em Jerusalém.

    Protestos semelhantes foram convocados no fim de semana em várias cidades ocidentais, como Nova York, São Francisco ou Londres, que denunciarão o que os organizadores descrevem como ameaças de Netanyahu à democracia.

    Mais:

    Israel: polícia prende 28 pessoas em protesto contra Netanyahu
    Em meio a tensões, Netanyahu emite alertas para Irã, Síria e Líbano
    'Não repita esse erro': Netanyahu ameaça Hezbollah após ataque na fronteira com o Líbano
    Tags:
    violência, democracia, protestos, assassinato, ameaça de morte, Sara Netanyahu, Yair Netanyahu, Benjamin Netanyahu, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar