20:30 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4496
    Nos siga no

    A Agência de Notícias Árabe da Síria (SANA) afirma ter obtido imagens do acidente que resultou na morte de um membro da Força-Tarefa Conjunta Combinada da Operação Resolução Inerente na terça-feira (21).

    O acidente ocorreu em al-Hasakah, uma região rica em petróleo no nordeste da Síria, contestada pelo governo sírio, por forças curdas patrocinadas pelos EUA, por militantes apoiados pela Turquia e por remanescentes do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países).

    As cenas mostram um blindado MRAP dos EUA, capotado em uma área a aproximadamente 15 metros da estrada, com outros veículos nas proximidades, sendo que um deles carregava a bandeira norte-americana.

    Segundo relatos, além do militar morto, outro teria ficado gravemente ferido e sido transportado para uma unidade médica dos EUA.

    As forças de coalizão dos EUA na Síria confirmaram na quarta-feira (22) em um comunicado que um soldado havia morrido.

    O acidente ocorreu uma semana depois de diversas explosões atingirem as instalações de munição e uma sede regional das Forças Democráticas da Síria (FDS), apoiadas pelos EUA.

    O controle dos territórios ricos em petróleo e gás do nordeste da Síria é dividido entre diversas facções concorrentes, com o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciando seus planos de "manter" o petróleo da Síria, após retirar as tropas da fronteira entre Síria e Turquia.

    Comboios norte-americanos regularmente enfrentam problemas com civis locais e tropas sírias, que tentam impedir que os veículos da coalizão percorram pela região.

    Mais:

    Sistemas de mísseis russos Tor derrubaram 45 drones de terroristas na Síria
    Blindado dos EUA tem pane no motor tentando barrar veículo russo na Síria (VÍDEO)
    Explode uma bomba na Síria no percurso de patrulhamento turco-russo
    Tags:
    forças militares, militares, bases militares, EUA, Síria, comboio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar