08:13 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    3715
    Nos siga no

    Israel começou a tomar "medidas práticas" para construir o assentamento de Monte Trump, nas colinas de Golã, disse o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu neste domingo (14).

    Em junho de 2019, Netanyahu anunciou a construção de um assentamento nas Colinas de Golã, homenageando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, cujo nome será utilizado no assentamento. A homenagem é uma resposta ao posicionamento do governo Trump reconhecendo o território como parte de Israel, apesar das reivindicações da Síria.

    "Hoje, Israel está começando a tomar medidas práticas para criar o assentamento Monte Trump nas Colinas de Golã, sob soberania israelense reconhecida pelo presidente Trump", disse Netanyahu em uma sessão do governo.
    Presidente dos EUA, Donald Trump, ao lado do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu após a assinatura do documento que reconhece a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã
    © AP Photo / Manuel Balce Ceneta
    Presidente dos EUA, Donald Trump, ao lado do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu após a assinatura do documento que reconhece a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã

    Israel e Síria compartilham fronteiras ao longo da região disputada das Colinas de Golã. A área está sob controle de Israel desde que o país a tomou durante a Guerra dos Seis Dias, em 1967. Israel adotou uma lei em 1981 que anexava o território, apesar da rejeição da medida pela Organização das Nações Unidas (ONU).

    Bandeira israelense no Monte Bental, nas Colinas de Golã, que são controladas por Israel (foto de arquivo)
    © AFP 2020 / Jalaa Marey
    Bandeira israelense no Monte Bental, nas Colinas de Golã, que são controladas por Israel (foto de arquivo)

    Em 2019, Donald Trump reconheceu o território como parte de Israel, contrariando o consenso internacional e reafirmando seus laços com Netanyahu. A medida foi rejeitada pela ONU e pelo governo da Síria, que classifica a situação como violação de sua soberania.

    Mais:

    Trump assina decreto reconhecendo a soberania de Israel sobre Colinas de Golã
    Assembleia Geral da ONU apela a Israel para que se retire das Colinas de Golã
    Ataque de drone israelense mata civil sírio nas Colinas de Golã
    Netanyahu pede sanções globais 'paralisantes' ao Irã por 'violações' de tratado nuclear
    Tags:
    ONU, Síria, Benjamin Netanyahu, Donald Trump, Colinas de Golã, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar