05:43 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    548
    Nos siga no

    Uma comissão interministerial de Israel anunciou que a empresa israelense IDE obteve o contrato para construir uma gigantesca usina de dessalinização em detrimento da empresa chinesa Hutchison Holdings.

    O anúncio surgiu dez dias depois da visita a Israel do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que pressionou as autoridades israelenses para que não colaborem com empresas chinesas em setores sensíveis.

    A usina de dessalinização Soreq B será construída perto de outra que já está operando, não muito longe da Base Aérea de Palmachim e do Centro de Pesquisa Nuclear Soreq. Estima-se que a construção da usina custará mais de € 1,5 bilhão (R$ 8,8 bilhões).

    De acordo com os planos, a nova usina estará completamente construída em 2023, vindo a se tornar a maior do mundo no setor de dessalinização. Será capaz de produzir 200 milhões de metros cúbicos de água por ano, o que incrementará a capacidade de dessalinização de Israel em aproximadamente 35%.

    Durante recente visita, Pompeo advertiu que os investimentos e a infraestrutura chinesa em Israel, que qualificou de "vírus político", representam um risco para a segurança do país e seus aliados ocidentais.

    Mais:

    Israel está há 2 dias sem novas mortes por COVID-19
    Israel arrisca perder 'proteção' do Congresso dos EUA se anexar Cisjordânia, alerta senador
    China enviará especialistas a Israel para investigar morte de embaixador
    Tags:
    dessalinização, água, China, EUA, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar