23:40 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2120
    Nos siga no

    Militantes do grupo Tahrir al-Sham (organização terrorista proibida na Rússia e em vários países) realizaram três ataques na província síria de Idlib, afirmou hoje (16) o Centro Russo de Reconciliação, operado por militares russos na Síria.

    "Registramos dois ataques ao assentamento de Maaret-Mouhos e um ataque ao assentamento de Dadih, na província de Idlib, a partir das posições da organização terrorista Frente al-Nusra [grupo extremista proibido na Rússia e em vários países e que deu origem ao Tahrir al-Sham]", disse o contra-almirante Oleg Zhuravlev, chefe do centro mantido pelo Ministério da Defesa russo na Síria. 

    ​No último 5 de março, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, concordaram em estabelecer um regime de cessar-fogo em Idlib, criando com isso um corredor de segurança seis quilômetros ao norte e ao sul da rodovia M4, que liga as províncias de Latakia e Aleppo.

    Sob esse acordo, Moscou — através da polícia militar russa — e Ancara realizam patrulhas conjuntas ao longo dessa rodovia, atualmente controlada por militantes.

    Embora o governo sírio, com a ajuda de seus aliados, já tenha retomado a maior parte dos territórios capturados por grupos rebeldes e terroristas ao longo dos últimos anos, algumas organizações ilegais ainda conseguem controlar algumas poucas áreas do país, incluindo assentamentos da província de Idlib, no noroeste da Síria.

    Mais:

    Explosão mata ao menos 40 civis no norte da Síria
    Defesa antiaérea da Síria teria repelido suposto bombardeio israelense em Aleppo (VÍDEOS)
    Forças norte-americanas teriam tentado bloquear comboio russo em rodovia na Síria (VÍDEO)
    Tags:
    Ministério da Defesa da Rússia, Ministério da Defesa Russo, Recep Tayyip Erdogan, Vladimir Putin, ataques, terroristas, Frente al-Nusra, Aleppo, Latakia, Centro Russo de Reconciliação, Tahrir al-Sham, Ancara, Moscou, Idlib, Turquia, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar