02:18 30 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 e o mundo no início de maio (100)
    72713
    Nos siga no

    Israel confirmou mais de 16 mil casos de infecção pelo coronavírus, enquanto a doença já cobrou a vida de mais de 245 pessoas no país.

    Para frear a doença, Israel fechou suas fronteiras para todos os estrangeiros e impôs o confinamento, mas recentemente começou a aliviar as restrições.

    O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, teria advertido seu partido Likud que o novo coronavírus, se os relatórios sobre a reinfecção fossem verdadeiros, poderiam acabar com a humanidade, segundo escreveu The Times of Israel, citando membro anônimo do Knesset (parlamento israelense).

    As afirmações de Netanyahu resultam de informações de relatórios segundo os quais pessoas que recuperaram da doença voltaram a testar positivo.

    "Há relatórios do exterior sobre reinfecção. Se isso for verdade, a significância poderia ser o fim da humanidade", disse premiê, de acordo com o membro anônimo do Knesset.

    Outros interlocutores de Netanyahu não se lembram de ele ter dito essas palavras, entretanto, eles confirmam que o premiê falou de "cenários de anarquia global".

    As citações teriam vindo de Netanyahu e do diretor-geral do Ministério da Saúde, Moshe Bar Siman Tov, durante uma reunião com o gabinete de ministros e outros responsáveis por combater a pandemia de coronavírus no país.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 e o mundo no início de maio (100)

    Mais:

    Trump diz não acreditar que China vazou coronavírus de propósito
    Israel começará a relaxar quarentena gradualmente, anunciou Netanyahu
    OMS lançará aplicativo para avaliar se usuário está infectado com coronavírus
    Tags:
    Oriente Médio, COVID-19, novo coronavírus, Israel, Benjamin Netanyahu
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar