07:24 10 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    244
    Nos siga no

    O governo afegão adiou neste sábado (14) a libertação de 1.500 prisioneiros talibãs, disse uma autoridade de Cabul. A decisão pode sabotar um acordo de paz assinado no mês passado entre o Talibã e os Estados Unidos.

    Jawed Faisal, porta-voz do Conselheiro de Segurança Nacional do Afeganistão, disse que as liberações estão sendo adiadas porque é necessário mais tempo para revisar a lista de prisioneiros. A medida ocorre apesar do decreto do presidente Ashraf Ghani no início desta semana, que prometeu liberar os prisoneiros neste sábado como uma medida de boa vontade para fomentar as negociações intra-afegãs.

    O acordo entre os EUA e o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia) foi apresentado como a melhor chance de acabar com os intermináveis confrontos no Afeganistão e trazer as tropas dos EUA para casa depois de quase 19 anos, informa a agência de notícias Associated Press.

    Não houve resposta imediata do Talibã sobre a mudança de planos das autoridades locais. 

    Faisal disse que o governo de Ghani quer mais tempo para revisar a lista de prisioneiros. O acordo entre EUA e Talibã exige a liberação de até 5.000 talibãs e 1.000 prisioneiros do governo afegão antes das negociações intra-afegãs, considerado um próximo passo crítico para alcançar uma paz duradoura no Afeganistão.

    Mais:

    Helicóptero militar estrangeiro teria sido abatido pelo Talibã no Afeganistão
    Afeganistão é o maior erro estratégico na história militar dos EUA, diz analista
    Militares dos EUA poderiam ter condições na África piores do que no Afeganistão
    EUA irão retirar todas as tropas do Afeganistão em 14 meses, segundo mídia
    Tags:
    Talibã, Estados Unidos, Afeganistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar