23:42 10 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    130
    Nos siga no

    O número de companhias aéreas que voam pelo espaço aéreo iraniano está aumentando, à medida que as tensões, que aumentaram em janeiro após a morte de um general do Irã e o abate de um avião civil ucraniano em Teerã, esfriaram, informou a agência de notícias local Mehr nesta quarta-feira.

    No sábado, a Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) flexibilizou as regras para aeronaves civis, permitindo que voassem rotas através do golfo Pérsico. A FAA afirmou que havia um risco significativamente reduzido de as Forças Armadas iranianas abaterem um avião de passageiros por engano, embora as companhias aéreas dos EUA tenham sido instadas a ter cautela ao voar perto do Irã e do Iraque.

    A Agência de Segurança da Aviação da União Europeia (UE) deu permissão para as transportadoras europeias usarem o espaço aéreo iraquiano e iraniano em 29 de janeiro, embora as aeronaves sejam estritamente restritas a voar em dois corredores específicos e a não descer abaixo de 25.000 pés.

    O diretor-gerente da Companhia de Aeroportos do Irã, Siavash Amirmokri, afirmou à agência de notícias Mehr que as companhias aéreas internacionais estão retornando ao espaço aéreo iraniano porque a rota mais econômica entre a Europa e a Ásia exige sobrevoar o país.

    Avião Boeing 737-800 cai após decolagem de Teerã, matando todas as 176 pessoas a bordo, 8 de janeiro de 2020
    © Sputnik / Mazyar Asadi
    Avião Boeing 737-800 cai após decolagem de Teerã, matando todas as 176 pessoas a bordo, 8 de janeiro de 2020

    Em 8 de janeiro, um jato Boeing 737-800 da Ukraine International Airlines caiu perto de Teerã logo após a decolagem, matando todas as 176 pessoas a bordo. O Irã admitiu que derrubou acidentalmente a aeronave, confundindo-a com um míssil de cruzeiro hostil, em meio a temores de retaliação dos EUA pelos ataques de mísseis do Irã a bases que hospedam tropas americanas no Iraque.

    Nesta quarta-feira, o ministro da Defesa do Irã, Amir Hatami, foi citado pela agência de notícias iraniana Borna dizendo que a caixa preta recuperada do local do acidente do avião ucraniano estava visivelmente danificada.

    Teerã lançou os ataques com mísseis depois que um ataque por drone dos EUA matou o principal general iraniano Qassem Soleimani perto do Aeroporto Internacional de Bagdá, em 3 de janeiro.

    Mais:

    EUA poderiam acessar caixas pretas do Boeing 737 abatido apenas no território do Irã
    Se os EUA continuarem com pressão, não haverá negociação, diz presidente do Irã
    Líder supremo do Irã: EUA afundarão assim como navio Titanic
    Tags:
    aviação civil, comércio, economia, União Europeia, acidente aéreo, Qassem Soleimani, Estados Unidos, Iraque, Europa, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar