22:52 29 Março 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    24237
    Nos siga no

    O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, exigiu neste sábado a retirada imediata das forças do governo sírio da província de Idlib.

    O presidente acusou a presença das tropas de Damasco nas proximidades de postos de observação turcos em Idlib e afirmou que não pretende aguardar até o final do mês para a retirada síria, com havia prometido anteriormente.

    "O problema não será resolvido, até que as forças do regime [sírio] se retirem para além das fronteiras [da zona de desescalada de Idlib] descritas no acordo de Sochi. Se eles não partirem, faremos o trabalho, sem esperar até final de fevereiro", disse Erdogan durante um discurso em Istambul, transmitido pelo canal NTV.

    Erdogan ameaçou realizar ações militares se as forças armadas sírias não suspenderem suas operações em Idlib e não se retirarem da região até o final do mês.

    A situação em Idlib escalou, depois de organizações terroristas violarem o cessar-fogo. As tensões aumentaram ainda mais depois que militares turcos foram atacados pelas forças do governo sírio na região e dois helicópteros sírios foram derrubados em Idlib.

    Ancara acusa as forças de Damasco de violar o cessar-fogo em Idlib e ameaça empregar sua força militar se a situação não mudar. O governo de Assad, por outro lado, defende seu direito de retaliar contra ataques de militantes contra civis e forças do governo em Idlib.

    Tags:
    zona de desescalada, Turquia, Síria, Idlib
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar