15:25 09 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    15530
    Nos siga no

    De acordo com o Centro de Reconciliação Síria do Ministério da Defesa da Rússia, os militares russos impediram novas escaladas e garantiram a saída do comboio militar dos EUA em direção à base norte-americana na província de Al-Hasakah.

    Enquanto isso, um jornalista militar publicou um vídeo de um suposto caça dos EUA atacando posições do Exército sírio em Qamishli. O vídeo mostra um F-15E voando ao longo da base aérea dos EUA. O jornalista declarou que o caça lançou uma bomba para alertar o Exército sírio. Um ataque, contudo, não foi registrado.

    ​Em um sinal de alerta ao Exército sírio, um caça F-15E do 389° Esquadrão da Base Aérea dos EUA, que havia decolado da Base Aérea Muwaffaq Salti, lançou uma bomba contra posições ao leste de Qamishli, onde um comboio do Exército dos EUA foi interditado por moradores.  

    A coalizão internacional, liderada pelos EUA, não emitiu qualquer declaração sobre o vídeo. Segundo o porta-voz da operação Resolução Inerente, Myles Caggins, a coalizão liderada pelos EUA na Síria abriu fogo contra civis "em legítima defesa" e que a coalizão estaria investigando o incidente.

    A tensão na região foi elevada depois que o Ministério da Defesa turco afirmou que seus soldados e um civil morreram durante um bombardeio das forças sírias no posto de observação da Turquia na província de Idlib.

    Ancara ainda ameaçou atacar as tropas sírias fora da zona de desescalada de Idlib, caso saiba de novos ataques contra as forças turcas.

    Mais:

    'Tanque voador': Mi-24 resiste a impacto de canhão antiaéreo de 57 mm na Síria (FOTO)
    Turquia destrói 101 alvos militares da Síria em resposta a ataque em Idlib, diz Ministério da Defesa
    Exército turco perdeu 14 militares e 45 foram feridos em ataques de forças sírias, diz Erdogan
    Tags:
    Síria, Força Aérea dos EUA, avião de assalto, avião de combate, avião de ataque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar