17:19 08 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5312
    Nos siga no

    As Forças de Defesa de Israel (FDI) disseram nesta quinta-feira (6) que vão aumentar sua presença na Cisjordânia devido a tensões crescentes na região.

    "Após uma avaliação operacional da situação pelo comando das Forças de Defesa de Israel, foi decidido fortalecer as forças no distrito da Judéia e Samaria [termo israelense para a Cisjordânia] com unidades militares adicionais", disse a assessoria de imprensa.

    Apesar do anúncio, não foram divulgados números em torno do aumento da presença militar.

    No início da quinta-feira, pelo menos 12 militares das FDI ficaram feridos após um ataque em Jerusalém. Em um evento separado, outro soldado israelense foi ferido após ataque a tiros na cidade de Qalqilya, na Cisjordânia.

    Além disso, confrontos entre as forças israelenses e palestinos que mataram dois manifestantes ocorreram em outra cidade da Cisjordânia - Jenin.

    Os incidentes violentos de quinta-feira vêm em meio a crescentes tensões entre Israel e Palestina após a publicação do plano de paz de Washington, no final de janeiro, que ficou conhecido como "Acordo do Século".

    A liderança palestina rejeitou a proposta do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que prevê a anexação por Israel de assentamentos judaicos na Cisjordânia e também no vale do rio Jordão, mantendo Jerusalém como sua capital "indivisível".

    Mais:

    Israel critica UE por rejeitar plano de paz de Trump para Oriente Médio
    Israel ocupará Cisjordânia assim que vencer eleições, diz Netanyahu
    Síria acusa Turquia e Israel de apoiar terroristas
    Tags:
    Donald Trump, Cisjordânia, EUA, Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar